Núcleo de Árbitros de Futebol do Ave foi bastante criticado por utilizar imagem de mulher vestida de árbitra com roupas decotadas e ousadas

Núcleo de Árbitros de Futebol do Ave usou imagem de
Reprodução
Núcleo de Árbitros de Futebol do Ave usou imagem de "árbitra sexy" para promover curso

Um anúncio criado pelo Núcleo de Árbitros de Futebol do Ave, em Portugal , para promover um curso de formação de juízes deu o que falar. No cartaz usado para a divulgação, há uma árbitra que se veste de maneira ousada com os números 69. O valor corresponde à temporada de 2016/2017, a qual registrou número recorde de inscritos, no entanto, faz também conotação sexual.

LEIA TAMBÉM: Chelsea tem reforma do estádio mais caro da Europa ameaçada por vizinho

O curso em questão é voltado para pessoas de 14 a 32 anos, ou seja, inclui menores de idade. A utilização de uma árbitra vestida com decotes com uso de apelos sexuais foi mal vista pela população e recebeu críticas na internet. Além disso, vai contra as regras da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), que prefere usar fotos de árbitros respeitados no país para assim, promover este tipo de ação.

LEIA TAMBÉM: Ex-jogador do Campeonato Francês é acusado de estupro coletivo

Uma fonte não identificada e ligada ao Núcleo, explicou a polêmica . "A média de inscritos é de 7, 8 árbitros, mas nessa época obtivemos 21", disse ao jornal português Correio da Manhã. Assim, o Núcleo de Árbitros do Ave não considera o cartaz como "abusivo". "Tivemos autorização da direção das escolas do concelho de Guimarães para afixar os cartazes apenas e só nas secundárias", completou a fonte.

LEIA TAMBÉM: Ronaldo admite que jogou Copa do Mundo de 2006 acima do peso: "A maioria estava"

Polêmica com clubes

O mesmo Núcleo de Árbitros de Futebol do Ave se envolveu em outra polêmica em Portugal. O diretor de comunicação do Porto revelou um e-mail onde o coordenador da entidade pedia convites para que os juízes associados pudessem assistir à final da Taça entre o Benfica e o Vitória de Guimarães.

"No nosso núcleo não há `clubite` podendo cada associado ter a sua simpatia, que é natural para quem gosta de futebol , mas a função de árbitro deve ser exercida com isenção, imparcialidade e competência. Objetivo para o qual trabalhamos ao longo dos anos e não com a pretensão de beneficiar qualquer clube no futuro, como maldosamente alguns interpretaram", esclareceu a entidade sobre a acusação do Porto, na página oficial do Facebook. No entanto, quanto às críticas perante a árbitra no anúncio de seu curso, nada foi dito.

    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.