Argentino era acusado de difamar empresa pública que lida com a coleta de impostos que estão em atraso no país europeu

O Tribunal de Justiça de Cassino, na Itália, absolveu o ex-jogador argentino Diego Maradona nesta quinta-feira no processo em que ele era acusado de difamar a Equitalia, empresa pública que lida com a coleta de impostos que estão em atraso no país.

Leia também: Marcelo elege seu melhor companheiro e o jogador mais difícil de ser marcado

Diego Maradona foi considerado inocente sob a justificativa de que "o fato não constitui crime". A mesma alegação serviu para o seu advogado de defesa, Angelo Pisani, que também constava no processo por haver difundido as supostas difamações.

Diego Maradona foi absolvido em caso de difamação na Itália
Ansa
Diego Maradona foi absolvido em caso de difamação na Itália

Em 2012, o ídolo do Napoli foi processado por difamar a Equitalia e o então presidente do órgão Attilio Befera. Na ocasião, o ex-jogador disse, por diversas vezes em entrevistas, que era "vítima de perseguição por parte da Equitalia", que o acusa de usar "documentação falsa e procedimentos irregulares", se referindo ao caso em que é acusado de sonegação de impostos.

Leia também: Seleção brasileira perde a liderança do ranking da Fifa para Alemanha; confira

O processo

As autoridades fiscais italianas cobram cerca de 40 milhões de euros de Maradona, devido à falta de pagamento de Imposto de Renda durante a época em que atuava no Napoli, entre 1984 e 1991. Por sua vez, o argentino sempre alegou que nunca foi informado do pedido de pagamento de tais impostos, e que seria um erro da Equitalia. Já a empresa, informou que o ex-craque argentino fez uma campanha para denegrir sua imagem.

Leia também: Conmebol utilizará árbitro de vídeo na Libertadores a partir das semifinais

Carreira

Maradona é considerado o segundo maior jogador de futebol de todos os tempos, atrás somente de Pelé. Ele foi campeão do mundo com a Argentina em 1986. Começou no Argentinos Juniors, Boca Juniors, Barcelona, Napoli, onde é ídolo, Sevilla, Newell's Old Boys e encerrou no Boca Juniors, clube que ele torce. 

Denúncia

O ex-jogador argentino Diego Maradona acusou recentemente a famosa grife italiana Dolce & Gabbana de ter usado seu nome sem a devida autorização durante os desfiles em comemoração aos 30 anos da marca ocorrido em julho de 2016, na cidade onde o ex-camisa 10 é ídolo.

Durante a festa realizada em Nápoles, onde fica o Napoli, houve um desfile noturno na rua de San Gregorio Armeno, que, inclusive, foi assistido pela atriz Sophia Loren, para homenagear a cultura da cidade. Na ocasião, uma modelo usou uma camisa azul, número 10 com o nome de Maradona impresso sem a autorização do ex-jogador.

    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.