O técnico Falcão aposta na dupla para conseguir bons resultados, já que os últimos jogos da equipe não agradaram

Desde que Oscar despontou, um dos sonhos do torcedor do Inter é vê-lo ao lado de D'Alessandro. Com Celso Roth esse pensamento se tornou realidade poucas vezes. Quando Falcão chegou, a esperança revigorou-se. Porém, o ex-jogador tem evitado colocar os dois meias, os maiores expoentes técnicos do elenco, juntos. Por necessidade, eles serão titulares no meio-campo contra o América-MG, no domingo.

Sem Bolatti, que está com a seleção argentina, Oscar entra no time, recuando Tinga para atuar ao lado de Guiñazu. "Eles já jogaram juntos algumas vezes. Jogam mais ou menos na mesma faixa do campo, mas podem jogar junto. O importante é tirar o melhor deles", comentou o treinador que gostaria de ver um Oscar mais encorpado e por isso ainda não o considerando pronto para ser dono de uma posição na equipe.

A obrigação por modificar o time colocará Tinga e Guiñazu juntos na terceira rodada do Campeonato Brasileiro, uma mexida que pode ajustar mais a saída de bola e a marcação, pois Bolatti não vem rendendo bem nos últimos jogos.

"São dois jogadores que já jogaram juntos. São jogadores experientes, que encurtam muito o adversário. A gente tem saída com eles pelos dois lados. Espero que possam fazer um bom jogo como no Gre-Nal, quando jogaram juntos", analisou Falcão, que em nenhum momento fez críticas ao argentino.

O comandante colorado vive momentos de pressão. Os resultados em campo e suas declarações não andam agradando . O time ainda não conseguiu ganhar consistência. No Brasileirão, o Inter empatou com os reservas do Santos e perdeu para o Ceará em casa.

"Vamos tentar buscar os pontos que perdemos nos outros jogos. Todos os jogos são complicados. É importante fazer bons jogos, assim fica mais próximo o resultado", explicou o treinador.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.