Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Internacional está definido para a estreia no Mundial de clubes

Celso Roth repete time pelo segundo treino seguido e só muda equipe para enfrentar o Mazembe por lesão. Time treinou marcação pressão e D¿Alessandro como isca para os rivais

Marcel Rizzo, enviado iG a Abu Dhabi |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237882528363&_c_=MiGComponente_C

O Internacional está pronto para a estreia no Mundial de clubes contra o Mazembe, às 14h (de Brasília) da próxima terça-feira, no estádio Mohammed Bin Zayed, em Abu Dhabi. Pelo segundo treino seguido, neste sábado, Celso Roth manteve a escalação do time e dificilmente mudará de ideia até a partida contra pela semifinal. O 4-4-2 precisa de alguns ajustes, que o treinador tentou fazer no treino realizado neste sábado a noite nos Emirados Árabes Unidos, tarde no Brasil.

Vipcomm
Celso Roth no treino do Internacional na tarde deste sábado, em Abu Dhabi

O time mais uma vez começou com Renan, Nei, Bolívar, Índio e Kléber; Guiñazu, Wilson Mathias, Tinga e DAlessandro; Rafael Sóbis e Alecsandro. O trabalho foi tático porque Roth o tempo todo parava para corrigir o posicionamento dos jogadores. Prevendo que o Mazembe vá repetir a formação com duas linhas de quatro, como venceu o Pachuca, Roth quer movimentação de Tinga e DAlessandro o tempo todo.

Os jogadores se cobravam bastante, principalmente para fazer marcação pressão na saída de bola do time reserva.  A ideia é não dar espaço para o Mazembe dar lançamentos longos, que resultavam em velocidade contra os mexicanos. Roth quer marcação forte.

O Pachuca não marcou  e acabou prejudicado por causa disso. Temos que colocar pressão, disse Roth na entrevista que concedeu antes do trabalho.  Prevendo que DAlessandro receba marcação especial, Tinga terá papel especial na armação das jogadas. E Rafael Sóbis, em alguns momentos, pode voltar para ajudar no início das jogadas, deixando o argentino mais preso no setor ofensivo como isca para puxar a marcação.

Leia tudo sobre: internacionalmundial de clubes

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG