Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Inter se apoia nos seus três campeões mundiais contra ansiedade da estreia

Somente equipe brasileira tem atletas no elenco que já venceram o Mundial de clubes. Renan festeja que desta vez será o titular

Marcel Rizzo, enviado iG a Abu Dhabi |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237882541802&_c_=MiGComponente_C

Só três jogadores que disputam o Mundial de Clubes 2010 em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, já venceram a competição. E todos eles estão no Internacional. O goleiro Renan e o zagueiro Índio levantaram a taça em 2006, pelo Inter, no Japão, enquanto o lateral-esquerdo Kléber foi campeão na primeira edição do torneio chancelado pela Fifa, em 2000, no Brasil, atuando pelo Corinthians. O Inter enfrenta o Mazembe, da República Democrática do Congo, nesta terça-feira, 14 de dezembro, às 14h de Brasília (20h local), pela semifinal da competição.

A experiência de já ter jogado um Mundial é importante porque você sente um pouco menos a estreia, alguns jogos. Estou empolgado com a possibilidade de disputar meu segundo mundial e, quem sabe, ganhá-lo, disse Kléber ao iG. Titular corintiano em 2000, ele participou do torneio que os paulistas enfrentaram o Real Madrid na primeira fase, em São Paulo, e na decisão o Vasco. A vitória aconteceu somente nos pênaltis, mas Kléber não bateu.

Se precisar bater aqui pelo Inter eu bato, sim, disse o jogador.
Celso Roth acha interessante só ele ter campeões mundiais de clubes no elenco. O elenco estrelado da Inter de Milão, com atletas de todo o mundo, não tem nenhum. O zagueiro Materazzi  foi campeão da Copa do Mundo com a Itália, em 2006.

Experiência sempre é fundamental. Você mesclando isso com juventude e vontade de vencer sempre dá um resultado muito bom, disse o treinador.

Campeão jogando
Renan foi campeão em 2006, com o Internacional, mas era reserva de Clemer, hoje o seu preparador principal no Inter. Por isso ele admite que será especial o Mundial de 2010.

Vipcomm
Renan treina em tarde de sol em Abu Dhabi, sede do Mundial de clubes

Me sinto campeão em 2006, claro. Mas desta vez vou jogar e o título será mais importante, claro. É um prazer poder ter voltado ao Inter, ser campeão da Libertadores e agora disputar uma Copa do Mundo, disse Renan. Vendido ao Valencia por R$ R$ 10 milhões em 2008, não foi bem na Europa e retornou ao Inter por empréstimo.

Depois de altos e baixos na temporada, Celso Roth testou outros três goleiros na reta final do Brasileiro, quando o clube já não disputava o título: Lauro, Pato Abbondanzieri e Muriel. Este último nem foi inscrito e os outros dois serão reservas. A certeza de Renan só veio quando ele foi inscrito com a camisa 1. Aí eu tive confiança, disse.

Índio foi o mais atuante na decisão do Mundial de 2006, contra o Barcelona. Ele quebrou o nariz naquela partida, de tanto trombar nos atacantes rivais, e deu o bico que resultou no gol de Adriano Gabiru, que definiu o 1 a 0 para o Internacional.

O clube com mais jogadores que já disputaram o Mundial é o Mazembe,  rival do Inter na semifinal de terça, com 17. Mas há uma explicação: os africanos jogaram o torneio do ano passado, também em Abu Dhabi, e mantiveram boa parte do elenco. Depois vem o Pachuca, que vai disputar o quinto lugar, com 15. Os mexicanos por sinal são o clube que mais jogou a competição, terceira vez este ano. Do Inter apenas os três citados jogaram o Mundial.

Leia tudo sobre: futebolinternacionalmundial de clubes

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG