Autofinanciamento ou parceria com empreiteira são as opções a serem votadas na noite desta segunda-feira

AI Internacional/Divulgação
Máquinas trabalham dentro do estádio
Na noite desta segunda-feira o Internacional deve finalmente decidir o futuro do estádio Beira-Rio. Os 343 conselheiros estão convocados para a votação que vai escolher como seguir fazendo as obras do estádio.

A primeira opção é o autofinanciamento. O clube continua fazendo as reformas no mesmo modelo, com recursos próprios e dependendo da venda de camarotes e arrecadação de recursos pelos próprios meios.

A segunda hipótese, a mais provável, é adotar a parceria com uma empreiteira. Esta daria as garantias financeiras exigidas pela Fifa e o Internacional não correria mais o risco de ter o Beira-Rio descredenciado como sede da Copa do Mundo de 2014. A construtora bancaria o restante da reforma e entregaria o estádio pronto até 2013. Em troca, ganharia o direito de explorar áreas do estádio nos próximos 20 anos.

Se este segundo modelo for o mais votado existe outra decisão a ser tomada. A construtora Andrade Gutierrez já apresentou projeto e é uma das opções. O clube ainda aguardaria mais algumas semanas para ver se surgem outras empresas interessadas, porém a tendência é de assinatura com a Gutierrez.

A empresa apresentou o projeto em que a reforma custaria R$ 290 milhões. O Beira-Rio seria remodelado, a cobertura seria construída, a arquibancada inferior terminaria de ser remodelada, a área de imprensa reformada, o vestiário adversário, etc..

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.