Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Imprensa afirma que Carlos Queiroz treinará a seleção do Irã

Segundo agência de notícias estatal, técnico que comandou Portugal na Copa assinará contrato no fim de semana

EFE |

Duas semanas após rejeitar uma proposta do Vasco, o técnico moçambicano naturalizado português Carlos Queiroz aceitou nesta segunda-feira uma proposta para treinar a seleção do Irã, segundo informações da imprensa local.

De acordo com a agência de notícias estatal "Isna", o treinador, que comandou Portugal na última Copa do Mundo, assinará no final desta semana um contrato de três anos no valor de US$ 6 milhões e levará até o Irã três de seus auxiliares, entre eles o ex-jogador luso Antonio Simões.

No cargo, Queiroz substituirá o iraniano Afshin Ghotbi, que deixou a equipe em janeiro após a eliminação para a Coreia do Sul nas quartas de final da Copa da Ásia.

O técnico chegou a Teerã na terça-feira passada para negociar com a Federação Iraniana de Futebol, e depois de assistir ao amistoso entre a seleção local e a Rússia, deixou o país prometendo uma resposta rápida.

Queiroz, que foi demitido de Portugal em setembro passado, após cair nas oitavas de final da Copa do Mundo e ter tido problemas com a Autoridade Antidopagem de Portugal (ADoP), se mostrou feliz e otimista durante toda a negociação.

"Estou feliz de haver vindo. Sim, estou negociando com os responsáveis iranianos, mas devo ressaltar que não há nada concreto", explicou antes da partida contra os russos, que o Irã venceu por 1 a 0.

"Vi a atuação do Irã durante a Copa da Ásia, realizada no Catar, e sei que é uma equipe com talentos. Agora quero saber quais são as expectativas", acrescentou.

A federação iraniana já quis no passado contratar outros treinadores europeus, como o espanhol Javier Clemente, que rejeitou o cargo, entre outras razões, pelas exigências que vivesse a maior parte do tempo no país.

Quem também chegou a ser assediado pelas autoridades iranianas foi o argentino Diego Maradona, mas as negociações não avançaram.

Leia tudo sobre: carlos queirozirãfutebol mundial

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG