Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Hotel da seleção em Londres vira ponto turístico para empresários

Presenças de Neymar e Lucas assanham procuradores. Até Kia Joorabchian apareceu para dar um "olá"

Marcel Rizzo, enviado iG a Londres |

A presença da seleção brasileira em Londres para o amistoso contra a Escócia movimentou o mercado do futebol da cidade e, por que não, da Europa. O hotel no qual a delegação ficou hospedada, o luxuoso The Dorchester, foi ponto de encontro de empresários famosos e de pseudo procuradores, que tentavam tirar sua casquinha principalmente dos mais jovens - os alvos principais foram Neymar e Lucas.

Não surpreendeu que o santista não tenha voltado ao Brasil com a delegação, domingo à noite. Ele pode visitar as instalações do Chelsea nesta segunda-feira acompanhado dos pais, que assistiram ao jogo in loco. Em nota, o Santos afirmou que o jogador permaneceu como parte do projeto de internacionalização do jogador, que concederia entrevistas à imprensa local. Mas a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) informou num primeiro momento que ele estaria de folga, concedida pelo clube paulista. Oficialmente ele conhecerá a cidade ao lado dos pais.

AE
Kia foi um dos empresários do esporte vistos no hotel da seleção em Londres
Procurador das duas revelações da seleção brasileira, Wagner Ribeiro esteve quase o tempo todo acompanhado do empresário israelense Pini Zahavi, sócio da HAZ, em sua estadia na Inglaterra. Ele viajou para ficar próximo de seus clientes. O iraniano Kia Joorabchian, conhecido no Brasil como ex-chefão da MSI, empresa que foi parceira do Corinthians em meados da década passada, também frequentou os bares e restaurantes do hotel. Ele é ligado a Pini Zahavi.

Zahavi é um dos grandes empresários europeus (tem como sócios Fernando Hidalgo e Gustavo Arribas) e está radicado em Londres, como Joorabchian. A capital da Inglaterra é a cidade que hospeda mais executivos envolvidos com o futebol. Foi na capital inglesa, por exemplo, que o ex-presidente do Corinthians negociou todo o início da parceria com a MSI, fundo de investimentos que tinha Zahavi como um dos donos. O russo Boris Berezovski, principal investidor, recebia Dualib justamente no The Dorchester.

O acesso aos jogadores era fácil. No sábado a noite, com a possibilidade de Ronaldo aparecer no hotel para visitar antigos companheiros, a reportagem ficou por mais de três horas no lobby do hotel. Em meio a artistas (como os atores Gary Oldman, de filmes como Batman e JFK, e Mathew Fox, estrela do seriado Lost), empresários circulavam e tinha acesso aos atletas quando eles desciam para as refeições.

Kia apareceu por volta das 21 horas (18h de Brasília), vestindo uma blusa preta e uma calça acinzentada. Sorridente, distribuiu “olas e como vai” mostrando que seu português continua bom. Mesmo ao avistar jornalistas, continuou sorrindo, deu a mão, prometeu que voltaria para falar, mas nunca mais saiu do bar.

Meia hora depois surgiu Wagner Ribeiro. De sobretudo, estava bem preparado para o frio londrino (menos de cinco graus na noite do sábado). Estava acompanhado de dois homens e ele mesmo tratou de explicar quem era um deles: Pini Zahavi. “Vou jantar com eles. Mas me liga que depois nos falamos”, disse à reportagem. Pouco depois a segurança do hotel pediu para que o iG deixasse o hotel porque estava atrapalhando a privacidade dos hóspedes.

Negociação
Ribeiro é entusiasta de que Santos e São Paulo vendam Neymar, 19 anos, e Lucas, 18, o quanto antes. Ele queria o acerto com o Chelsea em 2010, mas o jogador topou renovar com o Santos até 2015. A multa rescisória passa pouco dos R$ 100 milhões para o mercado externo. Ribeiro tem dito que times topam pagar esse valor, assim como os R$ 180 milhões de Lucas no São Paulo.

Não é confirmado se Neymar visitará realmente o Chelsea nesta segunda-feira. Mas Ribeiro gostaria que o jogador e os pais conhecessem o clube, como fora de impressionar. Zahavi tem muitos negócios no clube londrino. Outros empresários, de outros clubes, também estiveram em Londres vendo a partida. O Barcelona mandou um emissário justamente para acompanhar Neymar.

O atacante arrebentou na partida, fez dois gols, sofreu pênalti e mostrou que pode jogar em alto nível contra equipes européias de porte físico forte, como os escoceses. Com todos esses ingredientes, fica difícil para o Santos segurá-lo.
 

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG