Ex-zagueir Robson esteve no Centro de Treinamento ao lado de Cleisson, autor do gol do título cruzeirense

Divulgação
Cleisson e Robson, campeões da Copa do Brasil em 1993 pelo Cruzeiro, estiveram na Toca II
O Cruzeiro é, ao lado do Grêmio , o time que mais conquistou a Copa do Brasil, com quatro títulos. A caminhada de sucesso teve início em 1993, quando o time mineiro levantou o caneco pela primeira vez no Mineirão lotado, contra os próprios gaúchos. O gol do título foi marcado pelo raçudo meio-campo Cleisson, que visitou a Toca da Raposa II nessa terça-feira ao lado do ex-zagueiro Robson, que foi titular na grande final.

Siga o iG Cruzeiro no Twitter e receba todas as informações do seu time

O jogo terminou 2 a 1, com um gol de Cleisson que fez explodir o Mineirão com mais de 70 mil pessoas. "Eu tenho vídeos, lembranças desse gol, porque foi um jogo muito difícil. Comemoramos muito. Eu até fiquei com medo, porque quando assustei o Robson estava me agarrando, abraçando (risos), por causa do gol e do título”, revelou Cleisson em entrevista ao site oficial do Cruzeiro.

Entre para a Torcida Virtual do Cruzeiro e convide seus amigos

Robson estava no início de carreira e atuou como titular na grande final do torneio, diante da multidão cruzeirense. "Todos os gols do Cleisson foram especiais para mim, porque ele é mais que um amigo. Dentro do futebol é difícil ter uma amizade fortalecida como a que temos. Mas o mais importante para mim foi o da final da Copa do Brasil de 1993, contra o Grêmio, porque foi meu primeiro título, que abriu as portas para mim dentro do Cruzeiro", explica Robson.

Apesar do sucesso em Minas Gerais, tendo passado também pelo Atlético-MG , Cleisson atualmente mora em Fortaleza com sua esposa. O jogador falou com carinho do Cruzeiro. "Vim aqui no Cruzeiro, que é um clube que eu devo muito, tudo que eu tenho eu agradeço a Deus e ao Cruzeiro também. É sempre bom voltar a um clube que a gente fez história. Vim rever os amigos e também tive o prazer de jogar com o Joel Santana, ele é uma grande pessoa, figura humana espetacular", concluiu o "Pantera", apelido que recebeu enquanto era jogador do clube mineiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.