Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Herói, Oséas comemora gol do título da Copa do Brasil até hoje

Ex-atacante do Palmeiras fez gol decisivo contra o Cruzeiro há 13 anos, sob o comando do técnico Felipão

Danilo Lavieri, iG São Paulo |

Herói da primeira conquista de Felipão à frente do Palmeiras, Oséas comemora até hoje o gol de sua autoria. O atacante foi o responsável por levar a taça da Copa do Brasil de 1998 para o Palestra Itália. Oséas, que tem todas as características do jogador que o técnico tanto procura atualmente, afirma que até hoje é parado na rua por torcedores que lembram daquele lance.

“Com certeza, foi um dos gols mais importantes da minha carreira. Tanto esse gol quanto o da final da Libertadores de 1999. Até hoje, depois de tantos anos, os torcedores me encontram na rua e comentam do gol contra o Cruzeiro. Para mim, foi muito importante, pois ficou marcado na memória do torcedor do Palmeiras”, disse o ex-camisa 9, que marcou 65 gols em dois anos no clube.

Na ocasião, Oséas aproveitou rebote do goleiro cruzeirense Paulo César após batida de falta de Zinho e, quase junto à linha de fundo, completamente sem ângulo, marcou  aos 44 minutos do segundo tempo. Sem aquele gol, o jogo seria decidido nos pênaltis.

O goleador destaca que Felipão sempre pediu para ele acreditar em todas as bolas, mesmo naquelas que parecem mais improváveis, quando o goleiro precisaria entregar uma bola que já está quase dominada.

Gazeta Press
Atacante comemora um dos seus 65 gols com a camisa do Palmeiras

“É coisa de centro-avante. Tem que acreditar que o goleiro vai rebater, vai falhar. O Felipão cobrava muito que a gente tinha que conferir em todas as bolas. Eu fui feliz naquele lance e segui a orientação dele. A bola parada, o gramado molhado, o Zinho sempre pegou bem na bola, eu tinha que acreditar”, lembra Oséas.

Com moradia estabelecida em Salvador, na Bahia, o atacante, que hoje vive administrando alguns imóveis e empreendimentos, afirmou que Felipão tenta impor o mesmo estilo de jogo daquela época no time atual, colocando uma referência na área, com jogadores que possam ser velocistas em torno dele.

Oséas até brinca e diz que, por conhecer o estilo de Felipão, poderia ser o camisa 9 que o Palmeiras tanto procura caso tivesse um pouco mais novo. Completando 40 anos em 2011, ele garante que já esqueceu o futebol, mas ainda mostra preocupação com as trancinhas.

“Minha cabeça já está tranquila. Já faz um tempo que eu parei. Mas eu jogo bola com amigos, jogo showbol quando dá, tudo para não ficar um gordo chato”, disse ele. “As trancinhas continuam, mas já estão bem menores”, completou, para logo em seguida descartar o medo de sofrer com os reflexos da idade e perder o cabelo. “Rapaz, não tem nada disso não. Eu só deixo elas menores um pouquinho. Ainda não perdi o cabelo não”, brinca o ex-atacante aos risos.

Nesta quarta-feira, diante do Comercial do Piauí, Felipão pode testar um time com Miguel à frente. O jovem atacante subiu da base recentemente por ter o estilo de um camisa 9. Ele foi relacionado pela primeira vez pelo treinador e vive a expectativa da estreia e, quem sabe, virar heroi assim como Oséas.

Leia tudo sobre: palmeirasoséascopa do brasil 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG