Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Henrique se espelha no Barcelona para vencer rival

Entrosamento da equipe catalã serve de inspiração para volante celeste, já que meio-campo atua junto faz tempo

Frederico Machado, iG Belo Horizonte |

Vippcom
Henrique comemora gol sobre o Palmeiras, na última rodada do Brasileiro de 2010
Enquanto o Atlético contratou muito e passou por  mudanças quanto ao time que lutou para não ser rebaixado no Campeonato Brasileiro do ano passado, o Cruzeiro aposta na manutenção da base da equipe vice-campeã nacional para vencer o clássico deste sábado, às 17h, na Arena do Jacaré. A inspiração do time não poderia ser melhor: os craques do Barcelona, que já atuam juntos há muitas temporadas e que acumulam títulos.

O meio-campo cruzeirense foi muito elogiado durante o Campeonato Brasileiro de 2010. Marquinhos Paraná, Henrique e Fabrício se conhecem muito bem, já que chegaram ao clube em janeiro de 2008 a pedidos do então técnico Adilson Batista. Os três volantes atuaram juntos também no Jubilo Iwata, do Japão. Para o grande clássico, o técnico Cuca poderá contar apenas com Henrique, já que Paraná e Fabrício estão no departamento médico. Mas, mesmo com os desfalques, o padrão de jogo segue mantido.

Homem de confiança do técnico Cuca, Henrique acredita que o time pode surpreender o Atlético, mesmo com tantas peças conhecidas e que já jogam juntas há muito tempo. “Sempre estamos treinando jogadas novas, situações que podem acontecer em uma partida. Se pudermos aliar o entrosamento com a inovação, será o ideal”, afirmou o camisa 8. Henrique não acredita que o Cruzeiro seja um time previsível e se espelha até mesmo no Barcelona, da Espanha. “O Barcelona joga junto há muito tempo e ninguém segura os caras. Claro que são todos craques. Mas, aqui, podemos tirar muito proveito desse entrosamento também”, afirmou.

O volante Leandro Guerreiro, que ganhou a vaga com as contusões dos companheiros de time, se adaptou rápido ao esquema adotado e elogiou. “Fica mais fácil chegar e jogar em um time que já está acertado. O meio-campo do Cruzeiro é muito bom, entrosado, e já provou isso no ano passado”, afirmou o jogador.

Para tirar um pouco da pressão do clássico, o técnico Cuca tentou mostrar que, apesar da importância da partida, é preciso dar continuidade ao trabalho que vem sendo feito. “Vamos ter a mesma entrega, a mesma doação de sempre nesse clássico. Não adianta chegar lá na hora do jogo e querer fazer algo diferente demais. Vamos repetir a seriedade dos outros jogos”, finalizou o comandante cruzeirense.
 

Leia tudo sobre: CruzeiroCampeonato Mineiro 2011Henrique

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG