Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Há sete meses no Fluminense, Thiago Sales sequer ficou no banco

Reintegração emergencial de André Luis ao elenco só comprova indiferença e má vontade com o zagueiro

Marcello Pires, iG Rio de Janeiro |

O que faz Thiago Sales nas Laranjeiras? Essa deve ser a pergunta que o torcedor do Fluminense e o próprio zagueiro têm feito nas últimas duas semanas. Apresentado no dia 6 de setembro de 2010 como último reforço para compor o elenco na disputa pelo título do Brasileirão, o jogador de 23 anos não foi inscrito por Muricy Ramalho na Libertadores e sequer foi relacionado como opção no banco de reservas desde que chegou ao clube. A má vontade com o jogador ou a convicção por parte da comissão técnica de que ele não está à altura da equipe não é de hoje e ficou comprovada, nesta terça-feira, com a reintegração de André Luis ao elenco.

Gazeta Press
Zagueiro foi contratado pelo Fluminense em setembro de 2010, mas nunca foi aproveitado
Liberado há 20 dias para negociar com um clube da Coréia do Sul e com o Atlético-PR, André Luis não acertou com ninguém e voltou aos planos após as lesões de Leandro Euzébio e Digão, que deixaram o Fluminense na mão com apenas Gum inscrito na fase de grupos da Libertadores. Como o zagueiro havia sido inscrito na competição antes de pedir para ser liberado e ainda estava vinculado ao clube no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF, a diretoria acertou seu retorno em um ato de desespero.

Com a defesa menos vazada do Brasileirão de 2010 e as opções de André Luis e Digão como reservas imediatos de Gum e Leandro Euzébio, era até normal que Thiago Sales não tivesse muitas oportunidades. Mas após a saída de André, no dia 4 deste mês, e a lesão de Leandro Euzébio na partida contra o Boavista, pela quarta rodada da Taça Rio, seria natural que o zagueiro, ao menos, ficasse no banco no clássico contra o Vasco.

Porém, Enderson Moreira preferiu optar pelo volante Edinho, que já havia atuado no Palmeiras improvisado nessa posição. A desculpa de que o auxiliar permanente acabara de chegar e não quis fazer muitas mudanças pode ser a mais conveniente, mas o fato é que a presença de Thiago Sales no elenco parece indiferente.

A prova disso ocorreu na semana da saída de André Luis. Perguntado se o Fluminense contrataria um zagueiro, o então treinador tricolor, Muricy Ramalho, foi direto.

“Eu já havia pedido dois zagueiros no início do ano e não fui atendido. Agora, teremos que buscar outro, já que com a saída do André só temos o Gum, o Leandro Euzébio e o Digão para a posição, além do Edinho, que pode atuar improvisado”, afirmou à época Muricy, ignorando a presença de Thiago Sales no elenco.

Mas a indiferença do treinador não parou por aí. Na mesma semana, perguntado por outro repórter se o ex-jogador do Flamengo poderia ganhar uma chance, o treinador deixou claro que Thiago Sales, que chegou a defender o clube pelo Brasileiro sub 23, não fazia parte de seus planos.

“Quem? Ah tá, se ele tá aí treinando, pode jogar”, desdenhou Muricy.

Mas Thiago Sales não está sozinho nessa queda de braço. Depois de receber elogios do companheiro Gum, o zagueiro ganhou um apoio de peso neste terça-feira quando o assunto em pauta voltou a ser o retorno de André Luis.

“O Leandro Euzébio e o Digão são perdas importantes, mas o André Luis está voltando e ainda temos o Thiago Sales. Ele é um jogador de qualidade, tem treinado forte e pode nos ajudar”, afirmou o capitão Fred.

Apesar da falta de oportunidades, Thiago Sales nunca fez cara feia, reclamou ou deixou de se empenhar nos treinamentos. Procurado pela imprensa nesta terça-feira, o zagueiro preferiu não se pronunciar. Provavelmente para evitar um certo constrangimento.
 

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG