Zagueiro acha normal diretoria buscar atletas para a posição após lesões de Leandro Euzébio e Digão

Se no Brasileiro de 2010 a zaga do Fluminense foi a menos vazada da competição, o desempenho do setor não tem sido o mesmo em 2011. Após perder Leandro Euzébio e Digão machucados, o técnico interino Enderson Moreira foi obrigado recorrer ao improviso na reta final do Carioca e nos últimos quatro jogos da Libertadores. Para não correr o mesmo risco na disputa do Campeonato Brasileiro, a diretoria promete reforçar o elenco e os nomes mais cotados para a posição são Fabrício , do Cruzeiro , e Rafael Tolói , do Goiás .

Siga o iG Fluminense no Twitter e receba todas as informações do seu time em tempo real

Titular absoluto do Fluminense desde 2009, Gum se mostra tranquilo com a possível chegada de novos concorrentes para o restante da temporada.

“A diretoria está pensando em fortalecer essa posição que ficou carente por causa das lesões do Leandro Euzébio e do Digão. Ninguém pode prever lesões, mas elas acontecem durante a temporada. O campeonato é longo e a preocupação da diretoria é natural”, afirmou o zagueiro, que tem uma explicação para as constantes críticas no setor.

"Futebol é assim mesmo. Quando um time ganha as pessoas esquecem os defeitos. Mas basta começar a perder que eles rapidamente aparecem", concluiu.

Com a chegada dos possíveis reforços, Gum sabe que a disputa por uma vaga se tornará ainda mais acirrada com a chegada de um novo treinador. Entretanto, além de já ter trabalhado com Abel Braga, o zagueiro tem se destacado ultimamente como um dos símbolos do Time de Guerreiros nas últimas três temporadas.

“Já trabalhei com o Abel no Internacional em 2006, um pouco antes do Mundial Interclubes. Ele é um grande treinador e vai encontrar um time em boas condições, novamente fechado e trabalhando com em cima de um planejamento”, disse Gum.

O zagueiro quer esquecer o primeiro semestre frustrante do Fluminense, com as precoses eliminações no Campeonato Carioca e na Libertadores. Para Gum, é hora de deixar o que passou para trás e pensar somente na luta pelo bicampeonato brasileiro.

"É um recomeço para esse grupo depois de tudo que passamos no primeiro semestre. Foi um momento difícil, mas temos que voltar a apresentar um futebol de alto nível e brigar pelo título novamente", disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.