"Fiquei emocionado quando o Lopes confirmou que eu seria titular", contou o atacante, que fez fol no jogo

Guerrón foi o destaque do Atlético-PR na partida de quarta-feira com o Palmeiras , ao anotar um gol e sofrer o pênalti que deu o empate ao Furacão. No entanto, ele poderia nem ter ido a campo. Fora de forma por conta do período em que ficou afastado tratando uma lesão no joelho, o equatoriano foi questionado por Antônio Lopes e pediu para ser titular.

"Esta semana eu fiquei pensando se teria a oportunidade com o Antônio Lopes. Não gosto de ficar perguntado para o treinador se vou ser escalado, mas quando eu ia para o vestiário ele perguntou se eu agüentaria os 90 minutos e eu pedi para jogar", disse Guerrón.

"Fiquei emocionado quando o Lopes confirmou que eu seria titular. À noite, no meu quarto, estava conversando com o meu filho e prometi que iria fazer um gol para ele", completou, emocionado, o jogador.

Guerrón não era titular do Atlético desde o dia 19 de junho, na derrota por 2 a 0 para o Figueirense, quando a equipe ainda era dirigida por Adilson Batista. Sob o comando de Renato Gaúcho, e com a lesão no joelho, ele perdeu espaço e amargou a reserva.

"Na realidade, eu estava um pouco desmotivado. Como um jogador que é contratado para jogar e não pode, sair nas ruas e ouvir o torcedor cobrar é ruim. Eu falava com Renato para ter uma oportunidade e não tive."

Mesmo desmotivado, Guerrón nunca pensou em deixar o Furacão. "Desde que cheguei aqui eu falei que meu sonho sempre foi jogar no Brasil. Agora que tenho oportunidade, trato de mostrar meu futebol no dia a dia. Estou feliz aqui, numa instituição tão grande como é o Atlético. Tive ofertas para sair, do Monterrey (do México) e falei que não queria sair", revelou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.