Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Guarani e Atlético-MG empatam em jogo fraco e seguem ameaçados

Sem muita técnica, as duas equipes cansaram de errar nas finalizações e acabaram ficando no 0 a 0 em Campinas

Gazeta Esportiva |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237861838518&_c_=MiGComponente_C

Em um jogo de poucas oportunidades de gol, Guarani e Atlético-MG mostraram porque brigam contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro da Série A. Sem muita técnica, as duas equipes cansaram de errar nas finalizações e acabaram ficando no 0 a 0, frustrando a ambição de ambos de se afastarem da degola.

Com o empate, Guarani e Atlético seguem próximos um no outro, sendo que a equipe paulista, com 36 pontos conquistados, fica na 16ª posição, enquanto os alvinegros ficam em 17, com 35. Na próxima rodada, o time mineiro recebe o Santos, enquanto o campineiro vai até São Paulo encarar o Palmeiras.


O jogo
A partida começou movimentada, e a primeira grande chance veio aos 11 minutos. Após sobra na entrada da área, Mendéz acertou chute forte e Emerson espalmou para o meio da área. No rebote, Obina, completamente livre de marcação, bateu firme e o goleiro do Guarani acabou se redimindo e fez grande defesa.

Aos 24, Ricardo Xavier cabeceou livre após cruzamento, mas a bola acabou desviando em Ailson, zagueiro do Guarani. No contra-ataque, Diego Tardelli recebeu livre e chutou rasteiro. Emerso, bem colocado, agarrou.

Aos 41, após belo lançamento de Marcio Careca, Baiano acertou belo chute de esquerda e Renan Ribeiro fez linda defesa, evitando o tento bugrino e levando a igualdade para o intervalo.

Na volta para o segundo tempo, Vagner Mancini colocou Geovane no lugar de Reinaldo. A mudança deu mais mobilidade ao ataque dos anfitriões, mas o poder de finalização continuou muito fraco.

Com um jogo muito mais truncado, os cartões começaram a aparecer e as equipes pouco conseguiam ameaçar. As únicas chances vinham nas bolas paradas. Em uma delas, Marcio Carece cobrou e, por centímetros, Ailson não marcou.

Após 25 minutos muito lentos, surgiu um pouco de emoção. Primeiro veio o Guarani, que aproveitou boa jogada de Barboza. Ele rolou para Rômulo, que passou para Geovane. Melhor do time em campo, o meia bateu colocado para boa defesa de Renan Ribeiro.

No lance seguinte, Fernandinho cruzou e o zagueiro Ailson mandou contra o próprio gol. Emerson fez uma defesaça, mas o juiz já parava o jogo, alegando falta de Obina no defensor.

Melhor na partida, o time da casa encurralava o Atlético, não deixando os visitantes saírem para o jogo. A equipe roubava muitas bolas no meio-campo, mas não conseguia transformar os lances em ocasiões de gol, principalmente pela já conhecida deficiência na finalização de um time que não marca há cinco partidas.

Nos minutos finais, as duas equipes ainda chegaram em boas ocasiões, mas, para variar, erraram a finalização. Pelo lado do Guarani, Rômulo perdeu boa chance de cabeça. Do lado dos visitantes, Renan Oliveira e Fernandinho desperdiçaram duas boas situações de chute, mandando por cima do gol. Assim, o placar ficou mesmo no 0 a 0.


FICHA TÉCNICA - GUARANI 0 x 0 ATLÉTICO-MG

Local:
Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas (SP)
Data: 3 de novembro de 2010, terça-feira
Horário: 19h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Cláudio Mercadante (PE)
Assistentes: Altemir Hausmann (Fifa-RS) e Jossemmar José Diniz Moutinho (PE)
Cartões Amarelos: Marcio Careca, Maycon e Barboza (Guarani); Werley, Alê e Rafael Jataí (Atlético-MG)

GUARANI: Emerson; Apodi, Aislan, Ailson e Marcio Careca; Baiano, Paulo Roberto (Barboza), Maycon e Preto; Ricardo Xavier (Rômulo) e Reinaldo (Geovane)
Técnico: Vagner Mancini

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro, Rafael Cruz, Réver, Werley e Leandro; Alê (Rafael Jataí), Zé Luís, Edison Méndez (Fernandinho) e Diego Souza (Renan Oliveira); Diego Tardelli e Obina
Técnico: Dorival Junior

Leia tudo sobre: atlético-mgcampeonato brasileiroguarani

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG