Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Grêmio oficializa Paulo Pelaipe como novo diretor executivo

Apresentação do novo comandante do futebol irá ocorrer na terça-feira pela manhã

Hector Werlang, iG Porto Alegre |

O Grêmio oficializou, na tarde desta segunda-feira, a contratação de Paulo Pelaipe como novo diretor executivo de futebol. O dirigente será apresentado na manhã desta terça-feira. É a primeira medida do presidente Paulo Odone após as saídas de Antônio Vicente Martins, César Cidade Dias, José Simões e Alexandre Faria.

Entre para a Torcida Virtual do Grêmio e convide seus amigos

Twitter iG Grêmio: Notícias e comentários em tempo real

Pelaipe volta ao clube após três anos. A sua última passagem ocorreu 2008. Em 10 de abril, após o Grêmio ser eliminado pelo Atlético-GO na segunda fase da Copa do Brasil, o dirigente foi substituído por André Krieger – três dias antes o Juventude havia superado o time de Porto Alegre nas quartas-de-final do Gauchão. Odone também era o presidente da época e tinha como treinador Celso Roth.

Um dos maiores triunfos de Pelaipe, que começou a trabalhar com Odone em 2005, foi a contratação de Mano Menezes na campanha da Série B. Após a volta à Série A, no ano seguinte, o dirigente ainda teve participação na campanha do vice-campeonato da Libertadores em 2007.

Nas atividades anteriores, Pelaipe ocupava cargos políticos, ou seja, sem remuneração. Não será o caso de agora. Ele entra na vaga de Alexandre Faria, demitido após 25 dias de trabalho no clube . Odone ainda não anunciou se haverá um novo vice de futebol.

A contratação de Pelaipe indica mudanças no Grêmio. No sábado, após a derrota para o Flamengo , em entrevista à Rádio Gaúcha, na condição de ex-dirigente, o agora diretor executivo fez duras críticas ao time e a alguns jogadores:

"Hoje (sábado) vi o jogador Marquinhos caminhando em campo. E assim tem outros atletas. Esse jogador, o Lins, não tem nenhuma condição de jogar no Grêmio, com todo o respeito. As contratações foram equivocadas. O Grêmio não tem zaga, não tem meio, e não tem ataque. O Renato era o menos culpado de tudo. Na hora que saiu o Renato era para ter saído todo o departamento de futebol."

Pelaipe também entende que o Grêmio perdeu uma das suas principais características: a força.

"Não tem mais aquele abafa, aquela pressão, não é mais respeitado dentro da sua casa. E isso está muito na relação de jogadores que estão no Grêmio. Eles têm outra característica, tem um ou dois jogadores de pegada, e a maioria são fracos", comparou.

Na quarta-feira, o Grêmio enfrenta o Altético-MG.

Leia tudo sobre: grêmiobrasileirão 2011paulo pelaipe

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG