Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Grêmio crê em vantagem por Ronaldinho

Pela seleção, Grêmio acha que o jogador pode descartar propostas do exterior e optar pelo clube

Gazeta |

Ronaldinho Gaúcho quer voltar ao Brasil para convencer o técnico Mano Menezes a convocá-lo para a seleção brasileira e estaria disposto a acertar um contrato menos vantajoso financeiramente para alcançar este objetivo. É nisso que acredita a diretoria do Grêmio, que se diz próxima de um acordo por quatro anos com o atual jogador do Milan para 2011.

"Com o Ronaldinho e com o Assis (agente e irmão do atleta) estamos bem encaminhados, agora falta eles tratarem com o Milan. A princípio, acertamos o valor dos salários e os quatro anos de contrato. Ronaldinho quer jogar no Brasil para voltar à seleção brasileira", disse Paulo Odone, presidente do Tricolor Gaúcho, em entrevista à Rádio Globo.  

Ronaldinho tem vínculo na Itália até junho do próximo ano e poderá assinar um pré-contrato com qualquer clube em janeiro. Nesse caso, o Milan não receberia nada, mas o jogador só poderia sair no meio do ano. O Grêmio quer anunciá-lo o mais rápido possível e diz ter tudo acertado com o jogador e seu empresário, que agora devem se resolver com o Milan.

O cenário contraria a posição de Assis no início das tratativas, já que o agente vinha aconselhando os clubes a conversarem antes com os italianos. A dica foi dada a Palmeiras e Flamengo, brasileiros que também demonstraram interesse no jogador e elaboraram projetos para trazê-lo. O Grêmio, porém, não acha que tenha algum concorrente em igualdade de condições, dentro ou fora do país.

"Parece que ele ficou muito animado com a proposta do Grêmio. Eu soube do interesse do Palmeiras e do Flamengo, mas não interferi. O Ronaldinho nos disse que não vem ao Brasil por dinheiro, mas sim por objetivos, por querer jogar no Grêmio, morar em Porto Alegre e voltar à seleção", acrescenta Odone, que aposta em ações de marketing para bancar o jogador.

A saída conturbada do meia-atacante em 2001 pode ser um trunfo para os tricolores. Na ocasião, ele deixou o Olímpico rumo ao Paris Saint-Germain após assinar um pré-contrato sem o conhecimento do Grêmio, que não recebeu nada por uma de suas maiores revelações desde Renato Gaúcho, atual treinador da equipe.

 

Leia tudo sobre: RonaldinhoGrêmioMilan

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG