Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Governo vai à África do Sul “aprender” sobre obras para a Copa

Ministério do Esporte faz visita ao país sede do último mundial com foco nos investimentos em infraestrutura

iG São Paulo |

A demora no andamento das obras para a Copa do Mundo de 2014 faz com que o governo brasileiro procure parcerias com quem já passou por problemas semelhantes há pouco tempo. Esta semana o secretário-executivo do Ministério do Esporte, Waldemar de Souza, viajou à África do Sul para se reunir com representantes do país e discutir as soluções encontradas pelo país africano para o Mundial de 2010, especialmente em relação às obras de infraestrutura.

Nesta segunda-feira, acompanhado de representantes das cidades-sede do Mundial brasileiro, ele foi recebido pelo ministro da Indústria da África do Sul, Robert Davies. Em Joanesburgo, cidade que sediou a abertura e a final da Copa no ano passado, eles discutiram os investimentos feitos na área de transporte público e renovação de aeroportos.

Waldemar reconheceu que o Brasil enfrenta hoje os mesmos problemas que colocaram em dúvida a competência da África do Sul para sediar o evento da Fifa em 2010. E afirmou que o governo brasileiro está preparando um novo modelo de gerenciamento dos aeroportos, com a participação do setor privado.

“Um ano após a realização da Copa de 2010, com a experiência refletida e amadurecida, a África do Sul pode compartilhar as lições que vão aprimorar a preparação do Brasil para a Copa de 2014”, disse.

Na África do Sul, todas as cidades-sede tiveram seus aeroportos reformados para receber o Mundial, se tornando inclusive um dos motivos de orgulho do país. Os terminais de Joanesburgo e da Cidade do Cabo, por exemplo, foram ampliados e modernizados de forma a poderem atender um movimento quatro vezes maior que antes.

Em Durban, um aeroporto completamente novo foi erguido, com estrutura suficiente inclusive para aparecer em algumas listas de melhores do mundo. Exemplos que o Brasil pretende (e precisa) começar a seguir para não ver confirmadas as previsões pessimistas do ex-atacante e deputado Romário .

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG