Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Governo quer inaugurar Fonte Nova em março de 2013

Em evento para início da contagem regressiva de mil dias para o início da Copa, foi realizada uma grande festa em frente à obra

AE |

selo

AE
Um grande relógio foi instalado em Salvador para fazer a contagem regressiva
Um evento com fogos de artifício, apresentações do Olodum e de grupos de capoeira e inauguração de um relógio em formato de berimbau no Dique do Tororó, ao lado das obras da Arena Fonte Nova, marcou, na manhã desta sexta-feira, o início da contagem regressiva de mil dias para a abertura da Copa do Mundo de 2014 em Salvador.

Durante as celebrações, a Arena Fonte Nova ganhou uma data de inauguração, sugerida pelo secretário para assuntos da Copa, Ney Campello: 29 de março de 2013, aniversário da cidade. "A estrutura do estádio deve estar concluída antes disso, em dezembro do ano que vem, mas esse prazo adicional nos permitirá concluir todas as instalações e os acabamentos", afirmou o diretor de Negócios da Fonte Nova Participações, Lino Cardoso.

De acordo com a empresa, as obras estão dentro do cronograma, 25% concluídas. A fundação está finalizada e estão sendo instaladas as estruturas pré-moldadas - pilares, vigas e lajes. "Em novembro, os anéis do estádio já estarão visíveis para quem passar pelos arredores", afirmou Cardoso.

Segundo Campello, apesar de algumas obras de infraestrutura urbana não terem sido iniciadas, não há preocupação sobre o cumprimento dos prazos. "Estamos anunciando a licitação para a contratação das obras do Terminal Marítimo de Salvador e as obras no aeroporto devem ter início no fim deste ano ou no começo de 2012, assim como as intervenções na mobilidade urbana, tudo dentro do prazo previsto", afirmou. "Por esse cenário, ainda esperamos que Salvador seja anunciada pela Fifa, em outubro, como sede da abertura da Copa."

Para o prefeito de Salvador, João Henrique Carneiro (PP), as obras só não serão entregues no prazo se houver dificuldades com órgãos fiscalizadores. "Não somos contra o controle, mas precisamos ter responsabilidade com metas e prazos", afirmou. "Isso se resolve com diálogo."

Leia tudo sobre: copa 2014fonte nova

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG