Desoneração vale desde 1º de janeiro deste ano e se estende até 31 de dezembro de 2015

Número 1 da Fifa, Joseph Blatter, esteve com a presidenta Dilma Rousseff em julho, no Rio de Janeiro
Getty Images
Número 1 da Fifa, Joseph Blatter, esteve com a presidenta Dilma Rousseff em julho, no Rio de Janeiro
Decreto publicado nesta quinta-feira pela presidente Dilma Rousseff no Diário Oficial da União concede à Fifa isenção total de impostos federais para bens e serviços relacionados à Copa das Confederações de 2013 e à Copa do Mundo de 2014. Os dirigentes ficam livres, inclusive, da Cide (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico), cobrada na importação e comercialização de combustíveis.

VEJA TAMBÉM: Sem Dilma e Teixeira, governo e Fifa acertam mudanças na Lei da Copa

A desoneração vale desde 1º de janeiro deste ano e se estende até 31 de dezembro de 2015 e, da forma geral como a regra foi escrita, permite, por exemplo, isenção de impostos durante visitas de representantes da Fifa ao Brasil para encontros com Dilma ou vistoria do andamento das obras.

A isenção abrange de alimentos a material de escritório. Bens duráveis que ficarem no País após junho de 2016 precisarão ser doados a entidades beneficentes ou à União para escapar do imposto retroativo.

Segundo o coordenador-geral de Tributação da Receita Federal, Fernando Mombelli, a desoneração era uma "condição" para a realização dos eventos esportivos no País. Tais concessões são comuns em eventos da Fifa, segundo ele, mas o volume de desoneração depende da negociação de cada país com a entidade. A Receita prestará contas da desoneração em janeiro de 2016.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.