Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Gordura, briga com Lula e "caso travesti" marcam polêmicas de R9

Veja confusões extra-campo de Ronaldo, que se aposentou nesta segunda depois de uma carreira movimentada

Paulo Passos, iG São Paulo |

Títulos, feitos, recordes e homenagens marcaram os 18 anos de carreira de Ronaldo Luís Nazário de Lima. O atacante que recebeu o apelido de “Fenômeno”, justificou a alcunha também quando as notícias não eram tão boas assim.

Desde o problema de peso, que perseguiu o craque nos últimos anos da carreira, passando pelas quedas mais marcantes na carreira e pelo bate-boca com Lula, tudo que envolveu o maior artilheiro das Copas teve repercussão gigantesca. No dia em que Ronaldo anunciou oficialmente a sua aposentadoria, o iG relembra os assuntos que fizeram Ronaldo se envolver em polêmicas fenomenais.

Ídolo vira-casaca

Ídolo quando vestiu as camisas dos clubes que defendeu, Ronaldo nem sempre manteve esse quando condição quando deixou as equipes. O fato de defender rivais históricos como Inter e Milan e Barcelona e Real Madrid levou o brasileiro a ser considerado mercenário por torcedores das equipes européias.

nullNo Brasil, o atacante sempre disse ter como sonho vestir a camisa do Flamengo, seu time de coração. As declarações e o período que ele treinou no clube, após deixar o Milan, fizeram parte da torcida flamenguista o chamar de traidor quando ele acertou a ida para o Corinthians, no final de 2009.

“Piripaque” em 1998

Já eleito duas vezes melhor jogador do Mundo, Ronaldo começou a Copa de 98 como principal jogador da competição. Com ele, o Brasil chegou à final contra a França. Na manhã do dia 12 de julho, horas antes do jogo, o atacante passou mal. Segundo companheiros, que estavam no Château de Grande Romaine, em Lésigny, o jogador caiu no chão e ficou inconsciente durante alguns segundos.

Atendido pelo médico da CBF, Lídio Toledo, Ronaldo foi levado para uma clínica em Lilas, nos arredores de Paris. No local, foi submetido a exames, mas nada mais grave foi constado.

Segundo os médicos, Ronaldo teve uma convulsão, por stress. Mesmo assim, ele foi escalado para a final, perdida por 3 a 0 para os franceses.

Gordura

Os primeiros problemas de Ronaldo com a balança aconteceram após a Copa de 2002. Consagrado, campeão do mundo e milionário, o atacante foi para o Real Madrid, em 2003. No clube espanhol, venceu títulos e fez parte da chamada “era dos Galácticos”.

Foi em Madrid também, que o brasileiro passou a ter problemas para manter a forma. O ápice da gordura de Ronaldo, até então, foi a Copa de 2006, quando ele se apresentou com 95 Kg. Durante o torneio, chegou a perder cerca de 5 Kg, mas caiu com o restante do time para a França, nas quartas de final.

Getty Images/ AE
Gordo em 2006, Ronaldo aumentou ainda de peso na passagem pelo Corinthians
Desde então, o atacante nunca mais conseguiu manter o seu peso do auge da carreira, abaixo de 90 Kg.

Casos, casamentos e Cicarelli

Não só nos gramados que Ronaldo viveu conquistas fenomenais. Astro desde os 17 anos, o atacante ficou marcado pelos relacionamentos amorosos com mulheres famosas.

Da atriz Suzana Werner, a ex-jogador Milene Domingues, passando pelas modelos Raica Oliveira e Livia Lemos, foram muitos os casos de Ronaldo, amplamente acompanhados pela mídia. Nenhum deles teve tanto destaque como o casamento com Daniela Cicarelli.

Divulgação
O jogador Ronaldo e a apresentadora Daniella Cicarelli viveram um casamento relâmpago
O relacionamento com a apresentadora foi o mais polêmico do craque. O casamento no luxuoso castelo na cidade de Chantilly, nos arredores de Paris, ficou marcado pela expulsão de uma das convidadas, a modelo Caroline Bittencourt, e pela briga de Ronaldo com o seu braço direito, Rodrigo Paiva. Três meses após a festa, Ronaldo se separou de Cicarelli.

Bate-boca com Lula

A gordura de Ronaldo levou o atacante a bater-boca publicamente com o então presidente da República, em 2006. Durante a Copa da Alemanha, Lula conversou com o técnico da seleção brasileira na época, Carlos Alberto Parreira, por videoconferência. No bate-papo, o ex-presidente perguntou ao treinador se era verdade o que todo mundo dizia que o atacante estava acima do peso.

Ronaldo se irritou com a declaração. “Ele falou que eu estou gordo, todo mundo diz que ele bebe pra caramba. Tanto é mentira que eu estou gordo como deve ser mentira também que ele bebe pra caramba”, afirmou.
No retorno ao Brasil, em 2009, quando passou a defender o Corinthians, time de ex-presidente, Ronaldo e Lula se reconciliaram.

Travesti

De volta ao Brasil, onde iniciou recuperação física, Ronaldo viveu em abril de 2008, talvez a maior polêmica fora dos gramados. Após sair de uma boate, no Rio de Janeiro, ele buscou uma prostituta na orla da praia na Barra.

O jogador levou para um motel o travesti chamado “Andréia”. Segundo ele, em depoimento à polícia, ao perceber que não se tratava de uma mulher, desistiu do programa.
O jogador disse também que Andréia, que morreu em 2009, o teria ameaçado de extorsão para não revelar o episódio à imprensa. Segundo o travesti, Ronaldo sabia que ele era homem e que houve consumo de drogas no motel.

“Diante dos últimos acontecimentos e com o objetivo de esclarecer, o atleta Ronaldo jamais foi usuário de drogas, não teve nenhuma queixa-crime registrada contra a sua pessoa e está sendo vítima de uma tentativa de extorsão”, afirmou o jogador, em comunicado.

Cigarro e baladas

Fã de baladas, Ronaldo foi criticado pela torcida do Real Madrid e pela imprensa espanhola pela falta de profissionalismo. Já consagrado, o atacante não demonstrava o mesmo empenho nos treinamentos e era dos Galácticos no clube começava a ruir.

As escapadas na noite também criaram problemas para o astro na chegada ao Corinthians. Antes mesmo de estrear no clube, ele foi flagrado em baladas na capital paulista. Em muitas delas, Ronaldo aparecia fumando. O vicio nunca foi admitido pelo jogador.

Em fevereiro de 2009, Ronaldo se envolveu na maior polêmica extra-campo na passagem pelo Corinthians. Antes mesmo de jogar a primeira partida com a camisa do clube, o atacante fugiu da concentração do time no interior paulista e foi a uma casa noturna.

Ao voltar para o hotel em que a equipe estava hospedado, ele tentou entrar com uma mulher e foi impedido pelos seguranças, sob ordens de Mano Menezes, então técnico do Corinthians. Ronaldo ameaçou abandonar o clube, mas acabou ficando. Após o caso, Antônio Carlos, na época diretor-técnico do time, pediu para demissão.

Derrotas mais doloridas

Na despedida do Corinthians, Ronaldo se desculpou pelo fracasso na Libertadores. A queda, é claro, não foi a única na carreira de glórias do jogador.

Getty Images
Após sofrer convulsão, Ronaldo jogou final de 1998 contra a França

Na entrevista coletiva de despedida, o astro não quis fazer um ranking de suas maiores derrotas. “Eu não classifico minhas derrotas, não. Classifico minhas vitórias, mas sem desmerecer nenhuma delas. As derrotas servem para te ensinar, você aprende muito mais perdendo que ganhando”, disse.

Entre os maiores fracassos de Ronaldo estão as quedas para a França, na final da Copa de 1998, e no Mundial de 2006, nas quartas de final. Bem antes, entretanto, em 1993, o então jovem atacante, de 17 anos, perdeu com o Cruzeiro a decisão da Recopa Sul-Americana, em 1993, para o São Paulo.

Após dois empates em 0 a 0, o título foi decidido em cobranças de pênaltis. Ronaldo bateu e Zetti defendeu. O São Paulo venceu a decisão por 4 a 2, na primeira final perdida na carreira profissional do maior artilheiro de Copas do Mundo.

Leia tudo sobre: Ronaldoseleção brasileiraCorinthianspolêmica

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG