Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Gols e polêmicas marcam Fred no Fluminense. Relembre algumas

Briga com ex-médico do clube, perseguição de torcedores e declaração polêmica do pai estão na lista

iG Rio de Janeiro |

Na mesma medida em que marca gols, lidera o Fluminense em vitórias e é exaltado pela torcida, o atacante Fred coleciona episódios polêmicos em sua passagem no time das Laranjeiras, onde está desde 2009. A relação de amor com o clube as arquibancadas quase foi encerrada no ano passado, quando o jogador foi perseguido por membros de uma torcida organizada na saída de um bar e ameaçou deixar o futebol brasileiro.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Na sequência, no mesmo campeonato, foi importante na arrancada que levou o Fluminense ao terceiro lugar do Brasileirão, garantindo a vaga na Libertadores. A última polêmica aconteceu nesta semana, com as declarações de Juarez Pinheiro, pai do jogador, de que Fred teria simulado uma lesão para ser desconvocado de um amistoso da seleção brasileira. O iG relembra abaixo esse e outras passagens polêmicas do jogador no Fluminense.

Lesão supostamente inventada
No último domingo, durante a comemoração do título da Taça Guanabara em uma churrascaria da zona Oeste do Rio de Janeiro, o pai do atacante Fred, Juarez Pinheiro, revelou que o atacante havia inventado uma lesão para ser liberado do amistoso entre Brasil e Argentina, em setembro do ano passado. Segundo Juarez, o filho teria ficado irritado com a reserva durante a Copa América e teria pedido que médicos do Fluminense confinassem a lesão. Quatro dias depois, o jogador entrou em campo pelo Campeonato Brasileiro.

Leia mais: Fred desmente pai e diz que declaração foi no 'calor da emoção'

No mesmo dia, o Fluminense se pronunciou através de um comunicado oficial e garantiu que o jogador realmente havia se lesionado. O atacante postou um texto em seu blog oficial dizendo que as declarações do pai haviam sido ditas no calor da emoção, por conta do título, e que não condiziam com a verdade. O médico da seleção brasileira, Rodrigo Lasmar, também confirmou que um foi constatado um edema na coxa do jogador em sua apresentação, sendo liberado em seguida.

Briga com ex-médico do Fluminense
Enquanto o time das Laranjeiras brigava ponto a ponto pelo título do Campeonato Brasileiro de 2010, Fred seguia no departamento médico, com seguidas lesões musculares. Após uma tentativa frustrada de volta aos gramados e nova contusão na panturrilha, o atacante surpreendeu e deu uma coletiva dizendo que havia sido prejudicado pela equipe médica do clube, que o teria liberado antes do tempo ideal.

Veja mais: Pai diz que Fred fingiu lesão para não ir à seleção. Flu nega

Irritado, o chefe do departamento médico do clube a época, Michael Simoni, pediu demissão do cargo e acusou o jogador de traição. Disse ainda que o atacante queria entrar em campo antes do previsto, pedido que teria sido negado pelo preparador físico, Ronaldo Torres. “Ele não confia em mim e eu não confio mais nele. Foi uma atitude lastimável e covarde. Até porque quando ele foi expulso na final da Copa Sul-Americana de 2009, estava com o grupo e não me manifestei quando ele prejudicou o Fluminense “, disse Michael Simoni.

Caipisaquês e perseguição
Acompanhado do atacante Rafael Moura e de quatro garotas, o capitão do Fluminense foi visto por membros de uma torcida organizada em um bar da zona Sul do Rio de Janeiro, numa madrugada de agosto de 2011, onde teria consumido 60 caipisaquês. Dias depois, além de prestar queixa na polícia contra o grupo que o teria perseguido, Fred convocou coletiva para mostrar a conta do local, onde apareciam 28 doses da bebida alcoólica.

Caio Amy/Photocamera
Fred mostra a conta do bar com 28 drinques consumidos

Veja também: Herói da final, Fred exalta 'time de guerreiros' do Fluminense

O jogador ficou de fora de duas partidas do Fluminense e cogitou deixar o futebol brasileiro, mas voltou a atuar dias depois. “Divulgaram uma mentira, aí os torcedores colocaram em xeque meu profissionalismo. Eu tinha que fazer alguma coisa desta vez. Acho que fiz a coisa certa. Estão querendo me colocar como baladeiro, cachaceiro, e isso não tem. Sou muito profissional. Acho que vou andar com seguranças”, disse Fred na coletiva em que anunciou sua permanência no Fluminense.

Escalando o time
Após ser afastado do time e ter assinado com o Corinthians, em abril de 2011, o atacante Emerson declarou que o elenco do Fluminense estava rachado e que Fred decidia a escalação da equipe no lugar do treinador interino Enderson Moreira, contratado enquanto o clube das Laranjeiras esperava Abel Braga. Em alguns coletivos, o jogador foi visto entregando coletes de titular e reserva, mas o ex-técnico do Fluminense negou qualquer interferência no trabalho.

Leia mais: Denunciados, Emerson e Diguinho podem pegar até 12 anos de prisão

“Eu nunca na minha vida abri a possibilidade de escalação por parte do atleta. Tenho diálogo constante com a minha comissão técnica. Se alguma coisa aconteceu de certo ou errado é responsabilidade minha, ninguém interferiu. Não há a mínima chance de isso ter acontecido”, declarou Enderson Moreira, em meio a polêmica.

Ajude o time do Fluminense a subir no ranking da Torcida Virtual

Leia tudo sobre: FluminenseCampeonato Carioca 2012FredAbel braga

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG