Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Goleiro do Mazembe batiza dancinha com seu nome. Veja o vídeo

Considerado meio "doido", Kidiaba não pode dar entrevistas, mas falou ao iG o nome da sua dança esquisita

Marcel Rizzo, enviado iG a Abu Dhabi |

nullA imagem da dancinha que o goleiro do Mazembe comandou depois durante e depois da vitória do Mazembe sobre o Pachuca, sexta-feira, rodou o mundo. Muteba Kidiaba, nascido na República Popular do Congo em 1976 (tem portanto 34 anos), não dá entrevistas. Segundo jornalistas africanos é porque é meio louco e fala bobagens. Mas respondeu ao iG, quando era empurrado por segurança, pelo menos o nome da tal dança. Kidibwake, disse. Percebendo que a reportagem não entendeu, fez sinal para que o assessor do clube escrevesse o nome.

 

A dança criada pelo arqueiro do adversário do Internacional na semifinal do Mundial de Clubes (jogo marcado para esta terça-feira, 14 de dezembro, 14h de Brasília), tem origem na Costa do Marfim, país no qual jogou futebol. Kidiaba juntou uma dança típica, Bwake, que é realizada de pé, mas a adaptou para ser feita sentado.  Juntou as quatro primeiras letras de seu nome, Kidi, com o Bwake da dança e pronto: estava criado o jeito Mazembe de comemorar.

Com 1,81m, e uma barriguinha saliente, Kidiaba foi atração na estreia do Mazembe não só pela dança exótica, mas também por seu modo de defender. Ele é adepto em segurar a bola, e não espalmá-la, o que gera situações de riscos para sua equipe. No último lance da partida contra o Pachuca, o argentino manso cobrou falta com força moderada. A bola foi no canto e qualquer goleiro do mundo a jogaria para a lateral. Kidiaba, não. Preferiu agarrá-la. A assessoria do clube prometeu que se o Mazembe for campeão, Kidiaba fala. Difícil.

Leia tudo sobre: futebolinternacionalfutebol internacional

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG