Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Goleada lança Coritiba num dilema: atacar ou defender?

Técnico Marcelo Oliveira poderá ter de desmontar o esquema tático ousado que sufocou o Iraty nesta quinta-feira

Altair Santos, iG Curitiba |

O técnico Marcelo Oliveira arranjou um problema para as próximas rodadas. Com as voltas dos lesionados Jeci e Leandro Donizete, ele terá de mexer na estrutura tática que se mostrou eficiente nesta quinta-feira, quando o Coritiba goleou o Iraty por 5 x 0. No 4-3-2-1, o time “encaixou”, como definiu o próprio treinador. “O envolvimento foi total da equipe. Tudo funcionou perfeitamente”, elogiou.

Só que Marcelo Oliveira admite ter de voltar ao 3-5-2, para que o capitão Jeci ocupe seu lugar na zaga. “Podemos obter o mesmo rendimento com a outra formação. O time jogou bem das outras vezes, mas a bola não entrou. Desta vez, os gols saíram”, justificou. O quebra-cabeça para o treinador será mexer na dupla Davi e Rafinha, que, como era esperado, caiu nas graças da torcida.

Com toques rápidos, ela envolveu completamente o Iraty. Para ajudar, trouxe um entrosamento de anos anteriores, quando atuaram juntos no Avaí e no Paraná Clube. Outras peças que encaixaram perfeitamente nesta estrutura foram Marcos Aurélio e Dill. Coincidentemente, os quatro marcaram gols, além do angolado Geraldo, que entrou no 2.º tempo.

Guardadas as devidas proporções, o meio-campo do Coritiba da noite desta quinta-feira lembrou uma célebre meia-cancha que atuou junta no final dos anos 1980. Lá, conviviam Osvaldo, Serginho, Tostão e Carlos Alberto Dias. Mais de trinta anos depois, o clube pode conviver com um dilema: reviver o futebol-arte, e correr o risco de golear, ou marcar como nunca, e vencer sempre por 1 x 0?

Leia tudo sobre: CoritibaCampeonato Paranaense 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG