Tamanho do texto

Meia cometeu pênalti já nos acréscimos e deixou o gramado revoltado com atuação de Leandro Vuaden

nullA partida contra o Palmeiras pode ter sido a última da vitoriosa carreira de Gilberto como jogador de futebol. O meia do Cruzeiro deixou o gramado do Pacaembu revoltado com a atuação do árbitro Leandro Vuaden e afirmou que vai parar de jogar futebol por se sentir perseguido pela arbitragem. Os colegas de time e a diretoria cruzeirense vão tentar convencer o atleta a mudar de ideia.

Siga o iG Cruzeiro no Twitter e receba todas as informações do seu time em tempo real

Ao término da partida, Gilberto disparou contra Vuaden. "Estou encerrando agora a minha carreira. Não aguento mais. O Vuaden me expulsou no jogo contra o Corinthians. Ele alega que fiz falta violenta no Jorge Henrique e, depois, acabei puxando o Alex e ele acabou me expulsando", reclamou o meia.

Veja a classificação do Campeonato Brasileiro

O jogador acredita que não cometeu o pênalti que acabou defendido por Rafael , já nos acréscimos. "Agora ele marcou pênalti. No lance anterior, eu tinha perguntado se ele não gostava de mim. Ele disse que não era isso, que era uma jogada de falta. O Marcos Assunção bateu para fora. Agora, ele marcou pênalti que não houve. Então é melhor para mim parar de jogar, porque assim não dá para continuar", afirmou.

Entre para a torcida virtual do Cruzeiro e convide os seus amigos

O gerente de futebol do Cruzeiro, Valdir Barbosa, acredita que a decisão foi tomada de cabeça quente e que o jogador pode repensar sua opção. "Acho que é cabeça quente. Ele (Gilberto) tem suas razões. Tivemos problemas com o Vuaden no ano passado. Em Porto Alegre também deram um pênalti dele que não foi. Vamos conversar com ele. O camarada não quer perder. Ele sempre joga no seu limite. Por sorte o Rafael defendeu", afirmou o cartola cruzeirense.

O meia Montillo afirmou que vai conversar com o companheiro de time. "Vamos falar com ele. O grupo precisa dele. Tomara que tenha sido de cabeça quente e que possa continuar conosco", disse o argentino.