Tamanho do texto

Ídolo já comandou a equipe nacional de seu país, mas fracassos nas eliminatórias para a Copa de 2002

Maior ídolo da história do futebol romeno, o ex-jogador Gheorghe Hagi recusou uma proposta para assumir a seleção de seu país, conforme informou nesta segunda-feira o presidente da Federação Romena de Futebol, Mircea Sandu.

Como jogador, Hagi defendeu grandes clubes do futebol europeu, como Barcelona e Real Madrid, e participou das Copas do Mundo de 1994 e 1998, nas quais a Romênia atingiu as quartas e as oitavas de final, respectivamente.

Na função de treinador, o ídolo não teve sucesso na sua passagem pela seleção romena em 2001, quando não conseguiu classificar o país para a Copa do Mundo de 2002. Depois desta decepção, Hagi também treinou clubes como o Bursaspor, o Galatasaray e o Steua Bucareste.

A seleção romena está sem técnico desde o dia 4 de junho, quando Razvan Lucescu pediu demissão. Três dias depois, a equipe veio a São Paulo para participar de um amistoso contra a seleção brasileira, na despedida do atacante Ronaldo, que acabou com vitória do time canarinho por 1 a 0 . Na ocasião, Stefan Iovan comandou a equipe interinamente.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.