Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

"Geração Neymar" vai ao Pacaembu para se despedir de Ronaldo

Garotos que não viram a trajetória vitoriosa do "Fenômeno" aproveitam última chance de vê-lo com a seleção

Bruno Winckler, iG São Paulo |

Os irmãos Diogo e Gustavo Ivankovic Gomes, de 7 e 13 anos,  não tiveram a chance de ver Ronaldo no auge. O mais velho não se lembra da Copa de 2002, quando ele marcou oito gols na campanha do último título mundial do Brasil e o mais novo tem como única lembrança do craque a passagem recente pelo Corinthians. Nesta terça-feira, os dois se fantasiaram de verde-amarelo e foram com os pais Nely e Adail para se despedirem do "Fenômeno" no amistoso contra a Romênia. E também para ver Neymar "brincar com os caras", nas palavras do corintiano Gustavo.

Bruno Winckler
Gustavo, de 13, e Diogo, de 7 anos, foram ao Pacaembu para se despedir de Ronaldo

"Era uma oportunidade única de os dois verem o Ronaldo. A gente aproveitou e veio", disse a mãe dos garotos, que é psicóloga.

Os dois querem ver Ronaldo, mas gostam mesmo é de ver Neymar. "A gente quer que Neymar vá pra cima brincar com os caras (da Romênia)", disse Gustavo, um dos garotos da "geração Neymar" que começa justamente no fim da geração dos milhões de brasileiros que cresceram vendo Ronaldo vestir a camisa do Brasil.

Apesar de a última referência de Ronaldo pela seleção ser no já longínquo jogo contra a França, na Copa de 2006, Gustavo tem na ponta da língua sua melhor lembrança do "Fenômeno" jogando pelo Brasil.

"Foi o gol contra Gana, que ele driblou o goleiro e tudo", recorda-se. "Eu só vi na televisão", disse Diogo. Este gol, marcado pelas oitavas de final da Copa da Alemanha, foi o 15º de Ronaldo em Mundiais. "Ele passou o Beckenbauer, eu acho", disse o garoto, confundindo o "Kaiser" com Gerd Müller, antigo recordista com 14 gols. "Era alemão, isso eu sabia. E tem o Klose que pode passar agora", disse o interessado garoto lembrando-se do outro alemão, que já tem 14 gols e terá 36 anos em 2014. "Ele está velho, mas é só fazer igual o Ronaldo no Corinthians, ficar ali parado na entrada da área, mais recuado, que ele pode fazer um gol. Mas tomara que não", disse Gustavo.

Diogo, mais novo e ao contrário do irmão, são-paulino, pode comemorar o primeiro gol de Ronaldo. "Eu só lembro dele no Corinthians", disse o menino de 7 anos. Gustavo "tirou onda". "Eu vi muitos gols do Ronaldo pelo Corinthians, um monte contra o São Paulo". Ronaldo marcou dois gols contra o time do Morumbi na sua passagem pelo Corinthians. "Vamos torcer para o Ronaldo marcar hoje também mesmo jogando pouco", disse Gustavo, já torcendo para que Neymar faça mais gols. "Ronaldo podia fazer um e Neymar mais dois", comentou o garoto que representa a passagem de bastão da "geração Ronaldo" para a "geração Neymar".

Leia tudo sobre: seleção brasileiraronaldoneymaramistoso

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG