Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Ganso se considera um atleta em extinção no futebol brasileiro

Mano Menezes não encontrou um substituto para Ganso na seleção durante recuperação do jogador

Samir Carvalho, iG Santos |

Além de fazer falta ao Santos nos últimos sete meses devido a uma cirurgia no joelho esquerdo, o meia Paulo Henrique Ganso também desfalcou a seleção brasileira, e o técnico Mano Menezes reconheceu as dificuldades para encontrar um substituto para o camisa 10. Questionado sobre a dificuldade de Mano encontrar um atleta com suas características, o meia acredita que seu estilo de jogo está em extinção no futebol brasileiro.

“Atribuiu isso a qualidade técnica, um dom de Deus, uma visão aprimorada. Ainda podem surgir alguns jogadores com esse estilo. É difícil achar um atleta que tenha esse estilo, mas pode surgir”, afirmou Ganso, que espera ser convocado por Mano Menezes nesta temporada.

“Eu estou preparado para estar na seleção e quero voltar alegre e mostrar o futebol bonito. É uma responsabilidade grande”, declarou o meia.

Apesar da carência em encontrar um “camisa 10 clássico” no Brasil, Ganso citou o meia Alex, ex-Palmeiras e Cruzeiro, e atualmente jogando no futebol turco, como uma referencia ao seu estilo de jogo. “Um cara que eu sempre gostava de ver é o Alex. Eu sempre admirei e sou fã incondicional dele. O estilo de jogo, o fato de ele ser canhoto”, disse.

Confira a segunda parte da entrevista exclusiva com Ganso

iG: Quais os planos para 2011
Ganso: Primeiro é jogar futebol em alto nível, pesando no meu sonho maior que é conquistar a Libertadores e depois pela seleção brasileira quero conquistar a Copa América.

iG: O Neymar tem um projeto bem elaborado pelo Santos, que você não aceitou. Você pode vender (imagem) mais do que o Neymar, que tem fãs adolescentes?
Ganso: Tanto a imagem do Neymar e a minha são as mais usadas no futebol hoje. Não quero entrar em polêmica para falar quem vende mais. Nós agradamos as empresas no geral.

iG: Chegou a receber ameaçadas da torcida do Santos após ser oferecido ao Corinthians?
Ganso: Nunca recebi ameaça, a torcida pede para eu ficar. É até engraçado que a torcida do Corinthians me encontra na rua e pede para eu ir pra lá, já a torcida do Santos pede para eu ficar. Quero ficar no Santos.

nulliG: Temeu pela carreira após a lesão no joelho?
Ganso: Desde que aconteceu o lance na partida eu já imaginava o que aconteceria e estava deixando minha cabeça tranquila para recuperar. Em nenhum momento eu temi pela minha carreira.

iG: Está confiante para voltar aos gramados?
Ganso: Eu me sinto bem seguro, estou 100% e agora falta o passo final que é voltar a Vila Belmiro e mostrar aquele belo futebol de sempre.

iG: Quando pretende sair para a Europa?
Ganso: Enquanto eu estiver aqui vou buscar os títulos no Santos. Se tiver que ir para a Europa que seja naturalmente, sem forçar, e que seja melhor para os dois (Ganso e Santos).

iG: Diferente dos atletas de destaque da sua idade, você não é visto pulando carnaval ou nas baladas. Por quê?
Ganso: Eu sou um jogador mais calmo, mais tranquilo, um cara família também, isso ajuda. Não que eu não goste de ir a um show, mas não sou aquele cara de estar lá pulando, sambando.

iG: Qual é exatamente o seu “staff”? Quem são as pessoas que estão mais próximas a você na administração da sua carreira, e o que cada uma delas faz exatamente?
Ganso: As funções são acumuladas entre o Thiago Ferro, Jean Neto e o Guilherme Miranda (DIS), a minha família: minha mãe (Maria Creuza), meu pai (Julio de Lima) e meus irmãos (Julio Chagas e Paula de Lima). Todos os contratos nós sentamos juntos e decidimos, até para as coisas ficarem transparentes. Então a função é dividida e ninguém faz nada especifico.

Clique aqui e leia a primeira parte da entrevista com Paulo Henrique Ganso

 

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG