Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

"Ganso não gosta de fazer gol", acredita Muricy

Segundo treinador, o principal objetivo do meia, que ainda não marcou em 2012, é o passe final para os companheiros anotarem seus gols

AE |

O meia Paulo Henrique Ganso ainda não conseguiu marcar um gol nesta temporada. O fato, porém, foi minimizado pelo técnico Muricy Ramalho na vitória por 2 a 0 sobre o Comercial, na última quarta-feira à noite, em Barueri, pelo Campeonato Paulista. O treinador chegou a dizer que o jogador não gostar de balançar as redes adversárias, mas enfatizou que isso se deve ao seu estilo de jogo, que privilegia as assistências aos companheiros.

Leia também: Santos bate o Comercial e amplia série de vitórias no Campeonato Paulista

"Temos que respeitar as características do jogador. O Ganso não é um jogador que gosta de fazer gols. Para ele, o gol é o passe, o melhor gol é o passe. Ele não gosta de procurar o gol, quando está perto do gol gosta de passar", ressaltou o comandante, para depois lembrar que a criação de jogadas é realmente a principal missão de Ganso com a camisa santista.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

"Quero que ele venha no meio organizar, porque a bola tem que sair redonda e sai com quem conhece a posição, que é o Ganso. De vez em quando (o meio-campo) está muito fechado ele vem buscar a primeira bola", completou o treinador, em entrevista coletiva.

Ganso, porém, teve poucas chances de marcar gols neste ano, pois só disputou seis partidas, sendo cinco pelo Campeonato Paulista e uma pela Copa Libertadores, sendo que no ano passado ele balançou a rede cinco vezes em 30 confrontos.

Confira ainda: Rafael é liberado e volta a treinar nesta quinta no Santos

Já ao falar de Neymar, que fez linda jogada no lance do gol de Ibson na vitória sobre o Comercial, Muricy reclamou do grande número de faltas sofridas pelo atacante. "Estão abusando do rodízio. Ele não se joga, é falta. Falo isso pensando na Copa de 2014. Ele é muito forte fisicamente, mas uma hora vai acontecer de não aguentar. Temos de proteger o jogador, pois ele é fundamental para a Copa. Se o Brasil quer ganhar, temos de ter o Neymar em campo", opinou.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG