Diretoria pretendia anunciar acerto com o camisa 10 no placar da Vila Belmiro antes do jogo com chilenos

Gazeta Press
Ganso reconheceu que Santos tentou renovar contrato antes de jogo com o Colo Colo
O meia Paulo Henrique Ganso fez uma revelação importante na saída do gramado do Estádio Décio Vitta, após o empate do Santos com o Americana , em 0 a 0, neste domingo, pelo Campeonato Paulista. O jogador admitiu que a diretoria do clube tentou uma renovação às pressas na quarta-feira, horas antes da partida contra o Colo Colo (Chile), na Vila Belmiro, pela Copa Libertadores da América. Ganso rejeitou assinar um novo vínculo com o clube nessas condições.

"Antes do (jogo contra o) Colo Colo, houve essa conversa. Mas pensei bem e, como estávamos prestes a jogar um confronto decisivo na Libertadores, achei que não era o momento adequado para se discutir algo tão importante", revelou Paulo Henrique.

O responsável pela tentativa foi o consultor Fernando Silva, um dos homens fortes do futebol santista. No novo contrato, mostrado ao camisa 10 no Hotel Recanto dos Alvinegros, no CT Rei Pelé, havia poucas alterações em relação às propostas anteriores. A intenção era que Ganso assinasse o novo contrato para que o anúncio fosse feito à torcida momentos antes do duelo com os chilenos, no placar eletrônico da Vila.

Na conversa, inclusive, Silva teria prometido que o Santos liberaria Paulo Henrique para atuar no exterior, caso assinasse a renovação de seu vínculo com o clube. "Independentemente de um ou dois anos (para uma liberação), eu tenho contrato com o Santos. Estou muito feliz no clube e despreocupado com isso. Quero cumprir meu compromisso com o Santos, sempre honrando essa camisa", concluiu Ganso.

O imbróglio envolvendo a renovação contratual do meia vem se arrastando desde o ano passado, mas a situação tomou maiores proporções neste ano, com as reclamações de Paulo Henrique de uma possível falta de atenção da diretoria santista.

Enquanto isso, Milan e Internazionale , ambos da Itália, são os principais interessados na sua contratação. No vínculo atual de Ganso, válido até 2015, a multa rescisória para o exterior é de 50 milhões de euros (cerca de R$ 114 milhões).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.