Vice-presidente de futebol afirmou que clube concentrará esforços em outras posições carentes

Carlos Alberto não será reforço do Palmeiras . Pelo menos até a próxima reviravolta da novela que a cada minuto tem seu fim alterado. O capítulo da vez tem a declaração do vice-presidente de futebol, Roberto Frizzo, que disse que a chegada do meia está descartada por causa de um desencontro financeiro entre sua equipe e o Vasco .

Para o cartola, agora é hora de concentrar esforços em outras posições que estão mais carentes, especialmente após o setor de meio de campo ter sido reforçado com a chegada de Daniel Carvalho, apresentado nesta terça-feira após uma negociação que envolveu a ida de Pierre para o Atlético-MG.

Siga o Twitter do iG Palmeiras e receba as notícias do seu time em tempo real


"Nós tínhamos um acerto financeiro, mas depois a situação apresentada foi outra. O Carlos Alberto pediu uma chance para o Luiz Felipe e ele aceitou. Mas depois tivemos esse desencontro financeiro, sobre qual parte do salário pagaríamos em um empréstimo. Por isso, ele está praticamente descartado. Vamos encontrar esforços em outras posições que precisamos", afirmou Frizzo.

Internamente, duas teses são constantemente espalhadas entre conselheiros e funcionários. Carlos Alberto tem um problema no quadril e poderia ter problemas em manter um bom rendimento. O Palmeiras, no entanto, preferiu não dar essa versão para não prejudicar a imagem do atleta. Outra versão da reviravolta no caso foi a pressão de torcedores e até de conselheiros por considerarem Carlos Alberto um garoto-problema.

Carlos Alberto queria uma chance no Palmeiras
Futura Press
Carlos Alberto queria uma chance no Palmeiras


"Ele só tem a pubalgia desde os tempos do Bahia e estava fazendo outros exames por conta própria, tudo para agilizar o acerto com o Palmeiras, tamanha é a vontade dele de voltar a jogar. Mas não deu certo", completou Frizzo.

A negociação ganhou ares de novela após o presidente, Arnaldo Tirone, confirmar ao jornal "Folha de S. Paulo" que estava fechado com Carlos Alberto. Meia hora depois, em contato com o iG e outros veículos de comunicação, negou veementemente o acerto. No dia seguinte, os médicos afirmaram que o problema eram novos exames que seriam feitos e determinariam o futuro do meia. Meia hora depois, César Sampaio, gerente de futebol, passou no campo e disse que detalhes financeiros também poderiam atrapalhar a negociação.

Nesta terça, foi a vez de Roberto Frizzo reforçar a versão de Sampaio e dizer que a negociação só não aconteceu por um desencontro financeiro. Resta saber quais são os próximos passos das negativas do Palmeiras e das declarações por parte do Vasco, que detém os direitos econômicos de Carlos Alberto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.