Tamanho do texto

Mesmo com eliminações e problemas no departamento de futebol, clube acredita em sucesso no Brasileirão

Duas competições e dois fracassos. É assim que o primeiro semestre do Atlético Paranaense é resumido. No Campeonato Estadual, a equipe viu o rival Coritiba comemorar o bicampeonato em plena Arena, enquanto na Copa do Brasil, mais uma vez, o time rubro-negro caiu nas quartas de final

Apesar disso, nada que tire o ânimo do atual diretor de futebol, Alfredo Ibiapina, que promete ver o Atlético brigando pelas primeiras posições no Brasileirão.

“O presidente Marcos Malucelli me conhece e quando me chamou para assumir esse cargo sabia da maneira como eu vejo o Atlético: como um time grande. Vou montar um grande time para ser campeão brasileiro”, declarou Ibiapina.

Apesar disso, para muitos torcedores, o insucesso dentro de campo pode ser reflexo dos problemas internos. No final do ano acontecem eleições no clube e a atual diretoria já vem sofrendo com a pressão dos oposicionistas.

Prova disso foram as saídas recentes dos três comandantes do futebol: Valmor Zimermann e Ademir Adur, que respondiam como diretores, e Ocimar Bolicenho, gerente do departamento.

Ibiapina assumiu, assim como o ex-jogador Paulo Rink, que foi para a gerência de futebol. Os dois seguem buscando reforços para a equipe, tentando dar ao técnico Adilson Batista, mais tranqüilidade para o trabalho no restante da temporada.

“Desde o Paranaense, sabemos que precisamos melhorar e todo mundo tem consciência disso. Nosso time é guerreiro, com vontade e vai melhorar. Sabemos que o começo do ano foi ruim e agora tivemos esta eliminação, mas vamos fazer um segundo semestre melhor”, declarou o treinador, acreditando na volta por cima da equipe.

“O Campeonato Brasileiro é outra história, mas mostramos contra uma equipe da Série A que podemos jogar de igual para igual”, disse Adilson.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.