Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

FPF veta organizadas de Ponte e Guarani no estado de São Paulo

Proibição foi feita após morte de torcedor do Guarani em briga

AE |

selo

Futura Press
O torcedor do Guarani Anderson Ferreira foi morto na quinta-feira (15) em uma briga entre torcidas organizadas
Atendendo recomendação do Ministério Público (MP) de São Paulo, a Federação Paulista de Futebol (FPF) vetou as torcidas organizadas de Ponte Preta e Guarani para o clássico local deste sábado, às 18h30, no Estádio Moisés Lucarelli, pela 15.ª rodada do Campeonato Paulista. A proibição às organizadas dos dois clubes se estenderá a todos os estádios do Estado de São Paulo.

Deixe seu recado e comete a notícia com outros torcedores

 

Torcida Jovem e Serponte, da Ponte Preta, e Guerreiros da Tribo e Fúria Independente, do Guarani, não poderão entrar nos estádios com uniformes, baterias, faixas e bandeirão nesta reta final do Paulistão . A punição poderá ser aplicada também na Série B e na Série A do Campeonato Brasileiro.

Leia mais: Guarani vence o Mirassol e segue firme no G-8 do Paulistão

 

Esta é mais uma saída para diminuir o "clima de guerra" que foi instalado na cidade após a morte do torcedor do Guarani Anderson Ferreira, 28 anos. Integrante da Fúria Independente, ele foi morto após uma briga generalizada entre organizadas dos dois rivais, depois de um torneio envolvendo as categorias de base dos clubes, na última quinta-feira, no Estádio Brinco de Ouro da Princesa.

Desde então, um ambiente de tensão envolveu os preparativos para o clássico. O presidente do Guarani, Marcelo Mingone, queria que o confronto fosse realizado fora da cidade de Campinas e com os portões fechados, mas a Polícia Militar garantiu a segurança dos torcedores. Vale lembrar que os torcedores bugrinos terão direito a apenas 986 ingressos, 5% da carga total, conforme determinado pelo MP.

 

Veja também: Segundo tempo diante do Palmeiras vira exemplo para a Ponte Preta

Nos últimos dias, as investigações em torno dos responsáveis pela briga entre as torcidas se intensificaram. No final da tarde de quarta-feira, a Polícia Militar invadiu a sede da Fúria Independente e prendeu 35 pessoas que estavam no local para averiguação. Foram encontrados pedaços de madeira e barras de ferro, que seriam utilizadas em uma possível vingança.

 

Mesmo assim, no final da noite foram verificados choques entre torcedores numa avenida da área central. Não houve vítima grave nem registro de prisão. Ainda à noite, houve registro de um grupo de 20 torcedores do Guarani que atiraram pedras em veículos que transportavam torcedores do rival, após a vitória sobre o Sapucaiense-RS, por 5 a 2, pela Copa do Brasil . Ninguém foi preso.

 

Nesta quinta-feira pela manhã, a Polícia Civil invadiu a sede da Torcida Jovem, da Ponte Preta, para investigar sobre a morte de Anderson Ferreira e prendeu três pessoas. Foram encontrados pés de cama e pedaços de madeira. Fichas de inscrição dos membros da torcida e dois computadores também foram levados para averiguação, porque a briga fatal teria sido marcada pela internet.

Leia tudo sobre: guaraniponte pretacampeonato paulista

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG