Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Fórmula que pode derrubar River surgiu para salvá-lo nos anos 80

Rebaixamento na Argentina é definido pela média das três ultimas campanhas no nacional

Marcel Rizzo e Paulo Passos, enviados iG a Buenos Aires |

Um desavisado que olhe a tabela da última edição do Campeonato Argentino não entenderá porque o River Plate corre o risco de ser rebaixado para segunda divisão neste domingo . O clube de Buenos Aires terminou a competição em nono, posição que o daria uma vaga para a Copa Sul-Americana. O motivo que ameaça o gigante argentino foi uma regra criada na década de 80, justamente para lhe favorecer.

Siga o iG Esporte no Twitter

Acontece que desde 1983, o rebaixamento no país é definido pela média das campanhas dos últimas três edições do torneio. Há uma tabela a parte apenas para a disputa de seguir na séria A.

Getty Images
River Plate precisa vencer Belgrano por 2 a 0 neste domingo para escapara do rebaixamento

Com a campanha de 2011, o River ficou na décima sétima posição e, por isso teve que disputar a chamada ‘promoción’, uma repescagem com o quarto colocado da série B. Por temporada, caem os dois clubes com pior média nos últimos três anos. Os que tiverem a terceira e quarta piores campanhas jogam com o quarto e o terceiro colocado da segunda divisão, respectivamente. Quem vencer a melhor de dois jogos, fica na série A.

Essa regra foi criada em 1983, com o objetivo de evitar a queda dos grandes clubes argentinos, principalmente o River Plate, que fazia uma campanha ruim naquele ano. Com o sistema de médias, o clube acabou permanecendo na primeira divisão, pois tinha uma boa média de pontos nos campeonatos anteriores.

Com a regra em vigor, alguns grandes caíram para a série B, casos do Racing, Estudiantes e San Lorenzo. Figuram na lista de equipes que nunca foram rebaixadas o Boca Juniors, o Independiente e o River Plate.
 

Leia tudo sobre: River PlateFutebol mundialargentina

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG