Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Fluminense tem previsão de força máxima na reta final do Campeonato Brasileiro

Coordenador médico Douglas Santos pede cautela com volta de Fred e explica lesões do atacante, mas aposta na volta dos medalhões

Marcello Pires, iG Rio de Janeiro |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237861991318&_c_=MiGComponente_C

Falta de sorte, coincidências ou falta de planejamento? Nada disso. Para os médicos do Fluminense a série de lesões que vem atormentando o técnico Muricy Ramalho nada mais é que uma fatalidade em um esporte  tão competitivo como o futebol. Pode até ser, mas o fato é que desde o episódio envolvendo o atacante Fred e o ex-coordenador médico Michel Simoni que o departamento médico do clube tem sido alvo de críticas e especulações.
 
Solicitado pela imprensa para falar sobre o resultado do exame de imagem feita pelo atacante Washington, que engrossou a lista de pacientes que já passaram pelo departamento médico do clube nos últimos meses, o coordenador médico do Fluminense, Douglas Santos,  aproveitou para defender seu setor e explicar os casos recentes, em especial, o de Fred, que deve seguir fora da equipe no clássico contra o Vasco.

Douglas Santos afirma que as contusões musculares são normais no meio do futebol e não são exlusividade do Fluminense. Embora os problemas não tenham sido poucos nas Laranjeiras, nenhum chamou tanta atenção ou deu tanto ibope como o caso do atacante Fred. Talvez por isso, mesmo com o jogador já estando entregue à preparação física desde o início da semana, o coordenador médico do clube reconhece que é preciso muita cautela e precaução para sua volta ao time.

O Fred já está liberado clinicamente, mas esse é um processo conjunto com a preparação física e por isso não podemos colocar o jogador em campo sem estar cem por cento de sua forma e correr o risco de perde-lo novamente. O Caso dele requer muito mais cuidado porque ele sofreu três lesões seguidas no mesmo local, explicou Douglas, que fez questão de afirmar que não houve qualquer tipo de precipitação na sua volta aos gramados na partida contra o Santos.

Não houve precipitação nenhuma. Ele estava treinando normalmente e nós planejamos a volta dele para aquela partida. Foi feito tudo como o combinado, mas infelizmente por uma fatalidade ele sofreu uma nova lesão no mesmo local. Por isso ele não deve jogar contra o Vasco, já que o planejamento foi traçado para ele voltar contra o Goiás. Tanto que ele nem foi utilizado pelo Muricy no coletivo desta quinta-feira, concluiu.

E não deve ser apenas o camisa 9 do Fluminense que deve reaparecer no time na reta final do campeonato. Segundo Douglas Santos, a partir da semana que vem, Deco, recuperado de um estiramento na coxa direita, e Emerson, com uma lesão no tornozelo esquerdo, deverão ser liberados para a preparação física esvaziando o departamento médico do clube quase que por completo.

O Deco evoluiu bem e deve ser liberado para a preparação física no início da semana. E se tudo correr bem ele já deverá ter condições de jogo contra o Goiás, no outro final de semana. O Emerson a mesma coisa. Ele já fez a última parte de fisioterapia no campo, também deverá iniciar a preparação física no início da semana e talvez também já possa ser relacionado para o jogo contra o Goiás, concluiu.

Leia tudo sobre: fluminense

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG