Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Fluminense encara Boavista por uma vaga na decisão da Taça GB

Muricy Ramalho e jogadores pregam respeito à equipe de Saquarema e ignoram status de pequeno do rival

Marcello Pires, iG Rio de Janeiro |

Photocamera
Conca está animado, mas cobra seriedade contra o Boavista na semifinal

Na teoria, o Fluminense tem no Boavista um adversário mais fraco para avançar à final da Taça Guanabara. MAs, na prática, todos nas Laranjeiras pregam respeito ao time de Saquarema e encaram a semifinal deste sábado, às 17h, no Engenhão, como uma decisão. O status de time pequeno do adversário foi ignorado durante toda a semana pelos atuais campeões brasileiros, tanto que nesta sexta-feira Fred, recuperado de uma gastroenterite, e Rafael Moura, confirmados por Muricy Ramalho no ataque, treinaram exaustivamente as cobranças de pênalti.

Apesar do título brasileiro, e de recentemente o time ter chegado a duas decisões continentais (da Libertadores, em 2008, e da Sul-Americano, em 2009), o Fluminense não conquista a Taça Guanabara desde 1993. Para acabar com esse jejum que já incomoda os torcedores há 18 anos, o elenco tricolor fez questão de deixar a partida contra o Nacional, do Uruguai, pela Libertadores, em segundo plano.

“Temos que pensar primeiro no Boavista, que é um adversário de qualidade, bem arrumado e que joga sempre para frente. Eles não chegaram à final por acaso. Vai ser um jogo complicado”, disse o argentino Conca, na quinta-feira.

Muricy Ramalho também mostrou preocupação em relação ao adversário deste sábado, tanto que nem tocou no assunto Libertadores durante a coletiva. Sério e diferente das últimas sextas-feiras, o treinador falou pouco e foi curto e grosso nas respostas. Principalmente quando o assunto abordou a escalação de Leandro Euzébio.

“O Leandro treinou bem, sentiu um pouco, mas temos que ter um pouco de cautela. Ele está relacionado, e se estiver bem joga”, disse o treinador, que também economizou nas palavras para explicar a opção de Marquinho na vaga de Souza.

“A opção é minha sempre. O Marquinho entrou bem nos jogos e tem treinador muito. Eu tenho a seguinte filosofia: se entrar bem, não importa quem seja, vai jogar. Isso é o normal”, afirmou.

Quando o assunto foi o Boavista, Muricy Ramalho se mostrou ainda mais sério. Perguntado se a responsabilidade aumentava levando em consideração que o adversário é considerado um time de melhor expressão, o treinador não escondeu a irritação e fez questão de elogiar o trabalho do técnico Alfredo Sampaio.

“Nossa responsabilidade é todo dia. Aqui não tem essa de mais ou menos responsabilidade de acordo com o adversário. O Boavista tem um excelente conjunto, que possui jogadores de qualidades e tem um ótimo treinador. Eles ganharam moral com a vitória sobre o Vasco e será um adversário difícil”, disse Muricy, que se mostrou surpreso ao saber que o Fluminense não conquista a Taça Guanabara desde 1993.

"Eu nem sabiaa disso. Mas o clube também não ganhava o Brasileiro havia 26 anos e ganhou. Se você perguntar para os jogadores, eles também não sabem disso. Entramos para vencer os jogos independentemente da competição”, afirmou o treinador.

Apesar dos elogios do Muricy Ramalho, Alfredo Sampaio terá dois desfalques importantes para o duelo diante do atual campeão nacional: Joílson, lesionado, e Roberto Lopes, suspenso. Em compensação, o atacante André Luis volta a ser relacionado após cumprir suspensão na última rodada.

Um dos destaques da campanha heróica do time de Saquarema, Tony enaltece a união e a força do grupo e cita a capacidade de reação como um dos trunfos do Boavista.

“Temos conseguido reverter situações desfavoráveis ao longo da competição. Contra o Americano, por exemplo, saímos perdendo por 2 a 0 e viramos o placar. Contra o Nova Iguaçu, fizemos o gol da classificação para a semifinal aos 48 minutos do segundo tempo. Isso prova que nosso time não se entrega. É muito difícil nos vencer”, afirmou o jogador, que considera o Boavista um time de guerreiros.

Os guerreiros do Fluminense que se cuidem.

FICHA TÉCNICA - FLUMINENSE X BOAVISTA

Local: Engenhão (RJ)
Data: 19 de fevereiro de 2011, sábado
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães
Assistentes: Rodrigo Pereira Joia e Rodrigo Figueiredo Henrique Correa

FLUMINENSE: Ricardo Berna; Mariano, Gum, Leandro Euzébio (Digão) e Carlinhos; Edinho, Diguinho, Marquinho e Conca; Fred e Rafael Moura.
Técnico: Muricy Ramalho.

BOAVISTA: Thiago, Douglas, Gustavo, Santiago e Paulo Rodrigues; Julio Cesar, Thiaguinho, Leandro Chaves e Tony; Max (André Luis) e Frontini.
Técnico
: Alfredo Sampaio.
 

Leia tudo sobre: Campeonato Carioca 2011Fluminense

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG