Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Fluminense e Botafogo jogam de olho na liderança do Grupo B

Souza não tem ressentimentos do passado e torce apenas para manter a sina de jogar bem contra o ex-clube.

Marcello Pires, iG Rio de Janeiro |

Em 2000, o sonho de brilhar no Rio de Janeiro virou frustração. Falta de paciência da diretoria, poucas oportunidades, imaturidade e sem receber salários. Todas essas circunstâncias foram determinantes para que Souza não tivesse sucesso com a camisa do Botafogo e saísse do clube pela porta dos fundos. Mas quis o destino que onze anos depois, o meia voltasse à cidade para vestir a camisa do Fluminense. Mais maduro, estabelecido financeiramente e imprescindível no esquema do técnico Muricy Ramalho, Souza não guarda mágoas e torce apenas para manter a sina de jogar bem contra o ex-clube, neste domingo, às 19h30, no Engenhão, pela sexta rodada da Taça Guanabara.

“A vida é feita de oportunidades e naquela situação no Botafogo eu acho que não tive as chances que deveria ter. Eu era muito jovem, e infelizmente não consegui realizar o trabalho que eu desejava. Mas quem saiu perdendo não fui eu e por isso não guardo mágoa alguma do Botafogo”, afirmou o jogador.

Apesar do discurso pacífico sobre o antigo clube, o fato é que sempre que encontra o Botafogo pela frente o meia estraçalha e faz grande partida. Neste domingo, na disputa que vale o primeiro lugar do Grupo B (o Fluminense lidera com 15 pontos, contra 13 do Botafogo), Souza espera que o roteiro não mude.

“É engraçado, mas isso realmente acontece. Sempre jogo bem contra o Botafogo. Mas não é raiva e nem mágoa não, é apenas uma coincidência feliz. Tomara que amanhã eu tenha essa mesma sorte e o Fluminense consiga mais uma vitória”, disse o jogador.

Souza pode até não guardar mágoas do clube de General Severiano, mas também não esquece dos momentos difíceis que passou no Rio de Janeiro. Sem receber um único salário, o jogador brinca e diz que a situação era tão preta naquela época que sentiu falta até da merreca que ganhava quando ainda jogava em Maceió.

“Foi complicado, até porque naquele época eu não tinha uma situação financeira estabelecida. Os caras nunca me pagaram e isso atrapalhava demais dentro de campo. Em Maceió, eu ganhava apenas RS$ 800, mas pelo menos recebia”, lembra o jogador, que não se esquece de um encontro com o ex-presidente do clube na ocasião, Mauro Ney Palmeiro.

“A gente se encontrou no aeroporto uma vez, ele me parabenizou pelo momento que eu vivia no São Paulo e me disse que sempre teve certeza de que eu seria um grande jogador. Eu lembro que agradeci e não respondi nada. É engraçado que depois que o filho cresce todo mundo quer ser o pai. Mas minha resposta sempre foi dentro de campo, afirmou o jogador.

Mas o Fluminense não se resume a Souza. Muito pelo contrário. No time de Muricy Ramalho o que não falta são jogadores decisivos. A começar por Fred, artilheiro do Carioca com oito gols, que terá atenção dobrada no clássico deste domingo.

"Claro que o Fred vai merecer uma atenção especial. Ele é um goleador, jogador de Seleção Brasileira e tem muita qualidade. Mas do lado de lá eles também vão se preocupar com a marcação no Loco Abreu, no Herrera, no Cajá", prevê Joel Santana.

Ao ser questionado se tinha medo do Fluminense, Joel foi direto ao ponto, mostrou a confiança se sempre e prometeu um time ofensivo os noventa minutos.

"Este talvez seja um dos jogos mais importantes do campeonato pela magia que vivem as duas equipes. É o campeão carioca contra o campeão brasileiro. Ao jogar com um time como esse e usar a palavra cautela, você já dá uma supremacia para o adversário. Parece que está com receio, e não é isso. O Glorioso vai jogar de igual para igual, então é ir pra dentro", afirmou Joel Santana

Colaborou Renan Rodrigues

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE X BOTAFOGO

Local: Engenhão (RJ)
Data: 6 de fevereiro de 2011, domingo
Horário: 19h30h (de Brasília)
Árbitro: Gutemberg de Paula Fonseca

Assistentes: Wagner de Almeida Santos e Jackson Lourenço Massarra dos Santos
 

FLUMINENSE: Diego Cavalieri; Mariano, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Edinho, Valencia, Souza e Conca; Araújo e Fred. Técnico: Muricy Ramalho.

BOTAFOGO: Jefferson, Márcio Rosário, Antônio Carlos e João Filipe; Alessandro, Marcelo Mattos, Arévalo Ríos, Renato Cajá e Somália; Herrera e Loco Abreu. Técnico: Joel Santana


 

Leia tudo sobre: Campeonato Carioca 2011FLuminenseBotafogoSouza

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG