Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Fluminense consegue classificação histórica na Argentina

Campeão brasileiro reverte desvantagem no grupo, faz quatro gols e avança. Final do jogo teve pancadaria

Marcello Pires, iG Rio de Janeiro |

Mesmo com tudo contra e sem Emerson, afastado poucas horas do jogo por indisciplina, o time de guerreiros do Fluminense realizou mais um “milagre” para sua coleção. Venceu o Argentinos Jrs. por 4 a 2, em Buenos Aires, e se classificou para as oitavas de final da Libertadores.

O time das Laranjeiras ficou em segundo lugar do grupo 3, atrás do América-MEX, que ficou no 0 a 0 com o Nacional, no Uruguai.

Assim como na luta contra o rebaixamento em 2009 e na conquista do Brasileirão de 2010, a equipe hoje comandada pelo interino Enderson Moreira superou na raça seus próprios erros e comemora uma classificação que até mesmo o torcedor mais otimista já considerava inviável.

Com gols de Julio Cesar, Rafael Moura e dois do capitão Fred, o Fluminense chegou aos mesmos oito pontos do Nacional-URU, mas avançou com melhor saldo de gols. Nas oitavas, o time tricolor enfrentará o Libertad-URU, dono da segunda melhor campanha ma fase de classificação.

Após o apito final, uma grande pancadaria tomou conta do gramado. Os jogadores do Fluminense comemoravam, mas foram logo agredidos por rivais inconformados do Argentinos Jrs - o principal deles era Escudero. O técnico do Flu lamentou a violência dos rivais.


Aliviado com a classificação, o campeão brasileiro volta suas atenções para o Campeonato Carioca. Neste domingo, o Fluminense enfrenta o Flamengo, às 18h30, pela semifinal da Taça Rio.

Como já era de se esperar, o jogo começou nervoso, com muitas faltas e bastante truncado. Mas, aos cinco minutos, Marquinho achou Rafael Moura livre na área, o atacante chutou e a zaga desviou para escanteio. A partir daí, o Fluminense não se intimidou e, empurrado por cerca de mil tricolores, foi para cima do time argentino. Aos 7, Conca cobrou falta para dentro da área e assustou Navarro, que mandou para escanteio. Aos 11, foi a vez de Marquinho cobrar falta com perigo.

Forte na marcação, o Fluminense ganhava todos os rebotes e seguia pressionando no campo adversário. Aos 13, Marquinho chutou de fora da área, mas novamente a bola desviou na zaga argentina e foi para escanteio.

O Fluminense continuava mandando no jogo e, aos 16, quase marcou. Marquinho recebeu de Conca e tabelou com Fred, que chutou de canhota para acertar a trave direita do goleiro argentino.

O gol era questão de tempo e no ataque seguinte não teve jeito. Novamente Marquinho recebeu de Conca e deixou Julio Cesar na cara do gol, o lateral-esquerdo só teve o trabalho de tocar na saída de Navarro para abrir o placar.

Mas, aos 24, numa bobeada da defesa do Fluminense, fato comum durante toda a temporada, o rival empatou na única vez que chegou na área tricolor. Num lance sem nenhum perigo, Gum puxou Salcedo e o colombiano Wilmar Roldán marcou pênalti. O próprio Salcedo cobrou com muita tranquilidade e deixou tudo igual.

Aos 40, o Fluminense voltou a ficar na frente. Marquinho, o melhor em campo no primeiro tempo, recebeu falta de Escudero. Fred cobrou de muito longe em cima de Navarro, o goleiro argentino falhou feio e o atacante marcou pela primeira vez na Libertadores.

Se do meio para frente o time envolvia o Argentinos Juniors e lembrava o campeão brasileiro de 2010, a defesa tricolor continuava batia cabeça. Aos 41, Juan Sabia cruzou na área, Valencia furou de cabeça e Niell chutou para a baa defesa de Ricardo Berna, a primeira no jogo.

Aos 44, o time da casa quase chega ao empate novamente com Niell. O baixinho recebeu na área, matou no peito e acertou uma linda bicicleta que acertou a trave direita do goleiro do Fluminense. Como Nacional-URU e América-MEX empatavam sem gols, em Montevidéu, o Fluminense precisava de mais um para conseguir a classificação.

Ao contrário do que aconteceu contra o Naciona-URU, o time carioca voltou ligado no segundo tempo e por pouco não amplia a vantagem aos quatro minutos. Mariano cruzou, Fred deu um lindo passe de peito para Marquinho, que chutou no canto esquerdo e obrigou Navarro a fazer boa defesa.

Mas, aos nove, em mais uma falha individual da defesa do Fluminense, o Argentinos Juniors achou seu segundo gol em Buenos Aires. Juan Sabia cruzou, Valencia cortou errado, Oberman chutou, a bola desviou na zaga e enganou Ricardo Berna.

Aos 24, quando os donos da casa eram melhores, o Fluminense ficou na frente pela terceira vez no jogo. Marquinho cobrou escanteio, Valencia cabeceou, Navarro espalmou e Rafael Moura só empurrou.

E, aos 42, o milagre chegou. Edinho recebeu de Araújo e foi derrubado por Navarro. Pênalti que o árbitro colombiano marcou. Fred cobrou com categoria e garantiu a improvável classificação do Fluminense.

FICHA TÉCNICA - ARGENTINOS JUNIORS 2 x 4 FLUMINENSE

Local: Diego Armando Maradona (ARG)
Data: 20 de abril de 2011, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Wilmar Roldán (Colômbia)
Assistentes: Abraham González (Colômbia) e Javier Camargo (Colômbia)
Cartões amarelos: Escudero (ARG), Gum (FLU), Prósperi (ARG), Basualdo (ARG), Diguinho (FLU), Mariano (FLU), Ricardo Berna (FLU)

Gols:
FLUMINENSE: Julio Cesar, aos 17 do primeiro tempo; Fred, aos 40 do primeiro tempo e, aos 42 do segundo tempo, e Rafael Moura, aos 24 do segundo tempo
ARGENTINOS JUNIORS: Salcedo, de pênalti, aos 24 do primeiro tempo, e Oberman, aos nove do segundo tempo

ARGENTINO JUNIORS: Navarro, Juan Sabia, Miguel Torrén (Oberman), Santiago
Gentiletti e Gonzalo Prósperi; Mercier, Basualdo (Laba), Escudero e Ciro Rius, Salcedo e Franco Niell. Técnico: Pedro Troglio

FLUMINENSE: Ricardo Berna; Mariano, Gum, Edinho e Julio Cesar (Tartá); Valencia, Diguinho, Marquinho e Conca; Rafael Moura (Fernando Bob) e Fred.
Técnico: Enderson Moreira

 

Leia tudo sobre: FluminenseCopa Libertadores 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG