Tamanho do texto

Torcida pediu para argentino ficar e Ciro marcou duas vezes, afundando de vez o time paranaense na tabela

nullO Fluminense venceu o Atlético-PR por 3 a 1, nesta quinta-feira, no Engenhão. O que era para ser apenas mais um jogo do Campeonato Brasileiro pode ter entrado para a história como o último de Conca com a camisa do time carioca. Os rumores da venda do argentino para o futebol da China não foram confirmados pela diretoria, mas o futebol apagado, o desânimo do camisa 11 na comemoração dos gols e o choro no final do jogo deram a deixa de que é mesmo hora do adeus.

Siga o Twitter do iG Fluminense e receba as notícias do time em tempo real

E o jeitão cabisbaixo do craque argentino não tinha razão de ser. Assim que o atual campeão brasileiro entrou em campo a torcida fez sua parte e cantou a tradicional música em homenagem ao jogador. Depois, quase que num apelo desesperado, o torcedor gritou "Fica!, Fica!" e "Fica, por favor, você é o ídolo tricolor!"

O camisa 11 acenou e agradeceu o carinho da torcida, numa gesto, quem sabe, de despedida.
Com Conca ou não daqui pra frente, o fato é que a segunda vitória consecutiva fez o Fluminense subir quatro posições na tabela. Com 12 pontos, o time carioca assumiu a sétima colocação e encostou nos líderes. Já o Atlético-PR, que perdeu a terceira seguida, caiu para a última colocação com apenas um ponto ganho e um gol marcado.



O JOGO
Mal a bola rolou, o Fluminense partiu para o ataque e teve a primeira boa chance logo aos três minutos. Diguinho recebeu de Carlinhos e tocou para Souza, o meia caminhou, deu dois dribles em Manoel e chutou com perigo rente à trave direita de Márcio.

Com o Atlético-PR todo atrás, o Fluminense sentia a falta de um homem de referência e encontrava muitas dificuldades para penetrar na área adversária. Aos 15, Conca achou Souza livre pela direita, o meia foi alinha de fundo e cruzou rasteiro, Ciro tocou de raspão e Márcio defendeu com o pé.

Torcedor do Flu ou do Atlético-PR? Então entre na Torcida Virtual e convide os amigos

O Fluminense continuava melhor e, aos 21, quase abriu o placar numa cobrança de escanteio de Souza. O meia cobrou com perfeição e Márcio Rosário cabeceou tirando tinta do travessão do goleiro do Atlético-PR.

Aos 25, o único susto do time paranaense. Paulo Baier cobrou escanteio curtindo para Madson, o meia cruzou e Rafael Santos cabeceou sobre o gol de Diego Cavalieri com perigo. Como foi treinado treinou insistentemente por Abel durante a semana, o Fluminense valorizava a posse de bola, mas continuava com dificuldade de romper a retranca adversária. Aos 28, Edinho achou Carlinhos na esquerda, o lateral passou por Wendel e chutou, a bola desviou em Manoel e foi para escanteio.

nullRafael Santos cortou a cobrança de Marquinho e a bola sobrou nos pés de Souza, o meia avançou e soltou uma bomba de fora da área que passou raspando à trave direita de Márcio na melhor chance do Fluminense no primeiro tempo.

De tanto insistir, o campeão brasileiro abriu o placar aos 41 minutos. Carlinhos tocou para Ciro, o atacante fez um lindo corta luz e a bola sobrou para Conca, o camisa 11 deu um passe açucarado para Souza que só rolou para Mariano, o lateral driblou Paulinho e chutou rasteiro de esquerda para abrir o placar.

Darío Conca comemora com Ciro durante a vitória sobre o Atlético-PR
Photocamera
Darío Conca comemora com Ciro durante a vitória sobre o Atlético-PR
O Atlético-PR mal teve tempo para assimilar o golpe. Na jogada seguinte, Marquinhos achou Ciro livre, o atacante carregou a bola, deu uma pedalada e chutou no ângulo sem defesa para Márcio.

O panorama no segundo tempo não mudou nada. Entregue em campo, o Atlético-PR assistia ao Fluminense jogar. E, sem fazer força, o campeão brasileiro chegou ao terceiro aos 13 minutos. Souza cobrou escanteio, Gum cabeceou no travessão e, no rebote, Marquinho escorou para Ciro que completou quase caindo.

Aos 42, Edigar aproveitou cruzamento de Kleberson e marcou de cabeça sem defesa para o goleiro Diego Cavalieri.

Nos minutos finais, já com a vitória garantida e com Conca bem mais a fim de jogo do quem no primeiro tempo, a torcida do Fluminense voltou a apelar pela permanência do argentino. Mas, desta vez, sem muita educação, aos gritos de "ê, ê, ê, ê, se vender o Conca a p... vai comer."

FICHA TÉCNICA – FLUMINENSE 3 X 1 ATLÉTICO-PR

Local : Engenhão (RJ)
Data: 30 de junho de 2011, quinta
Horário : 21h (de Brasília)
Árbitro : Francisco Carlos Nascimento (AL)
Assistentes : Carlos J. Titara da Rocha (AL) e Pedro J. Santos de Araújo (AL)
Renda : R$ 119.045,00
Público Pagante : 3.449 pagantes (Presente: 5.114)
Cartões amarelos: Guerrón (ATL), Mariano (FLU)

Gols
:
FLUMINENSE: Mariano, aos 41 do primeiro tempo, e Ciro, aos 42 do primeiro tempo e, aos 13 do segundo tempo
ATLÉTICO-PR: Edigar, aos 42 do segundo tempo

FLUMINENSE: Diego Cavalieri; Mariano, Gum (Elivélton), Márcio Rosário e Carlinhos; Edinho, Diguinho, Souza (Valencia), Marquinho e Conca; Ciro (Fernando Bob) Técnico: Abel Braga

ATLÉTICO-PR: Márcio; Wendel, Manoel, Rafael Santos e Paulinho; Cleber Santana, Marcelo Oliveira, Paulo Baier (Edigar) e Madson (Kleberson); Branquinho (Guerrón) e Nieto Técnico: Leandro Niehues