Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Flávio e Fábio Júnior comemoram vitória do América-MG sobre rival

Goleiro defendeu um pênalti, enquanto atacante marcou dois no triunfo contra o Atlético-MG

Gazeta Esportiva |

Responsáveis diretos pela vitória do América-MG sobre o rival Atlético-MG, por 2 a 1, o goleiro Flávio, que defendeu um pênalti, e o artilheiro Fábio Júnior, autor de dois gols, saíram de campo satisfeitos com a vitória. Para o veterano arqueiro americano, a vitória foi merecida e a defesa do pênalti fez justiça ao erro da arbitragem do árbitro Joel Tolentino Damata Júnior.

"Sou um péssimo pegador de pênaltis. Nunca fui muito bom para pegar pênaltis, mas graças a Deus fui abençoado e consegui fazer uma defesa importante, num lance em que o árbitro errou. Eu fiz a defesa no pé do atacante deles e ele caiu por cima de mim", disse o goleiro, que ainda destacou a quebra de um tabu de seis anos sem vencer o rival em partidas oficiais.

"Já fazia muito tempo que o América-MG, em campeonatos regionais, não conseguia uma vitória em cima do Atlético-MG. Graças a Deus, depois de muitos anos, nós conseguimos uma vitória importante, que nos dá a liderança da competição. Vamos procurar descansar o máximo, para que no jogo contra o Guarani a gente possa fazer outra grande partida e que a gente possa sair de lá com outro grande resultado", completou Flávio.

Outro veterano que brilhou no clássico foi Fábio Júnior, que pretende marcar 33 gols na temporada e já é o principal goleador do Campeonato Mineiro com sete gols. O atleta dedicou os dois tentos assinalados no duelo contra o Atlético-MG aos familiares e aos companheiros de elenco americano.

"Dedico os gols à minha família, minha esposa, meus filhos, minha mãe, meus irmãos, todos aqueles que me dão muito carinho. O domingo não poderia ser melhor. Estou feliz pela boa atuação. Todos merecemos a vitória, divido meus gols com todo o grupo", comentou o atacante, que ainda declarou que vai lutar para chegar à marca de 33 gols na temporada.

"Falei que seria bom fazer 33 gols no ano e o pessoal colocou essa responsabilidade nas minhas costas. Vou até o final. A gente tem jogadores que são rápidos, que abrem espaço e driblam bem. Fico feliz de ter jogadores de qualidade ao meu lado para fazer os gols. Agora, é continuar trabalhando. A caminhada ainda é longa, mas vamos atrás do nosso objetivo", declarou.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG