Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Flamengo trabalha para tirar Sérgio Corrêa da presidência da CNA

Após eliminação polêmica contra o Ceará, time carioca quer mudança no Comissão Nacional de Árbitros

Gazeta |

Futura Press
Arbitragem de Ceará x Flamengo causou confusão até com a polícia no estádio

A diretoria do Flamengo vai começar a trabalhar nos bastidores da CBF parta afastar Sérgio Corrêa da presidência da CNA (Comissão Nacional de Árbitros). O estopim para a decisão, que não é confirmada abertamente pelos dirigentes do clube, foi a atuação do árbitro Sandro Meira Ricci no empate por 2 a 2 com o Ceará, que custou a eliminação do Rubro-Negro na Copa do Brasil. Os flamenguistas, dentre várias reclamações, protestam contra a expulsão do zagueiro Ronaldo Angelim e do lance que originou o segundo gol do time nordestino.

Nos últimos meses a presidente do Flamengo, Patrícia Amorim, tem se aproximado de Ricardo Teixeira, presidente da CBF. Tanto que a entidade reconheceu a conquista do título brasileiro de 1987, que era uma espécie de tabu no relacionamento entre as duas partes. A dirigente quer aproveitar essa aproximação e o atual momento do futebol brasileiro, onde Ricardo Teixeira está cada vez mais precisando do apoio dos clubes, que ameaçam criar uma liga para administrar as competições nacionais, para forçar a demissão de Sérgio Corrêa.

Nos próximos dias Patrícia Amorim vai se reunir com Maurício Assumpção, presidente do Botafogo, que também está insatisfeito com a presidência da Conaf. O Alvinegro foi eliminado da Copa do Brasil pelo Avaí também com uma atuação sofrível do trio de arbitragem, que marcou um pênalti inexistente para os catarinenses nos minutos finais. O jogo terminou empatado por 1 a 1. Na época, os dirigentes botafoguenses iniciaram uma campanha contra Sérgio Corrêa, o que também gerou críticas da Associação Nacional dos Árbitros de Futebol (Anaf).

Se os dirigentes do Flamengo evitam falar abertamente contra Sérgio Corrêa, o técnico Vanderlei Luxemburgo não poupou críticas ao principal comandante da arbitragem brasileira.

"O Sérgio Corrêa é o cara que comanda a arbitragem que está sendo questionada no Brasil há muito tempo. É ali que está o problema, na maneira como está conduzindo. Passei a reclamar e sou perseguido. Eu me preocupo em todos os jogos que envolvem arbitragem que pertença ao Sérgio porque está direcionada alguma coisa para mim", comentou Luxa.

O treinador já espera uma reação de Sérgio Corrêa: "Ele vai dizer que falo muito, e falo mesmo. O problema é que ele não tinha nem que estar lá, quando digo que ele nunca foi um grande juiz, ele responde que eu nunca fui um grande jogador. Mas sou um grande técnico e minha trajetória mostra isso. E ele não mostrou que é competente nem no comando da arbitragem", reforçou Luxemburgo.

Vanderlei Luxemburgo admitiu, com ressalvas, que o Ceará mereceu a vaga nas semifinais da Copa do Brasil. Mas destacando Sandro Meira Ricci.

"Dou todo o mérito possível ao Ceará, que tem uma grande equipe, com jogadores experientes. Mas com uma ajudazinha fica mais fácil, né? E o árbitro de uma mão muito grande. Não teve nada a ver com a pressão e o estádio, aliás, dou os parabéns pela reforma. O Ceará fez um jogo muito bom, buscou o resultado e não pediu para ser ajudado. Não posso deixar de reclamar do que todos viram. Mas, se o árbitro teve uma atuação ruim, não cabe questionar ao Ceará. O Ceará não se classificou aqui [em Fortaleza], foi lá no Rio [de Janeiro]", aliviou o comandante do Rubro-Negro.

Outro indignado com a arbitragem é o goleiro Felipe: "Ele não pode tirar a camisa aqui [no gramado], mas depois pode comemorar como torcedor do Ceará", reclamou o goleiro do Rubro-negro, que já deixou o campo para o intervalo desconfiando de um resultado armado a favor dos donos da casa em Fortaleza: "Se é pra classificar o Ceará, tira o Flamengo de campo".

O camisa 1 se irritou com o primeiro gol de Washington ao enxergar que o atacante adversário estava impedido. Depois, saiu do sério com o segundo cartão amarelo recebido por Ronaldo Angelim após trombar com Osvaldo. Na cobrança da falta, Washington fez o segundo gol e empatou por 2 a 2, mas os flamenguistas viram um toque de mão de Thiago Humberto no lance.

"Ter um jogador expulso em um jogo desse é complicado. Depois é fácil, é só administrar, como ele fez aqui", disse Felipe.

O meia Renato Abreu concordou com o companheiro: "Se eu falar, vou para julgamento. Mas nossa equipe jogou, fez o resultado que construímos no primeiro tempo e foi prejudicada pelo juiz".

O elenco do Flamengo ganhou folga nesta quinta-feira e volta as suas atenções para a disputa do Campeonato Brasileiro. A estreia na competição será no dia 21 de maio, diante do Avaí, no Estádio Cláudio Moacyr, em Macaé (RJ). Nos próximos dias Vanderlei Luxemburgo se reunirá com a diretoria para definir sobre dispensas e contratação de reforços. Até o momento, o clube acertou apenas com o zagueiro Gustavão, que se destacou pelo Boavista na disputa do Campeonato Carioca. A prioridade é a contratação de um lateral esquerdo, uma vez que Egídio e Rodrigo Alvim, as duas opções do atual elenco, ainda não conseguiram agradar a comissão técnica e os torcedores.

Leia tudo sobre: ArbitragemFlamengocopa do brasil 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG