Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Flamengo se reaproxima da CBF e deve se afastar do Clube dos 13

Entidade que reúne grandes do país está perto do fim. Patrícia pode negociar contratos individualmente

Thales Soares, iG Rio de Janeiro |

A principal conseqüência do reconhecimento do Flamengo como campeão brasileiro de 1987 deve ser o fim do Clube dos 13. A presidente Patrícia Amorim deixou claro seu desconforto com as últimas atitudes do presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, e do presidente da entidade, Fábio Koff.

No ano passado, quando os vencedores da Taça Brasil e do Torneio Roberto Gomes Pedrosa foram reconhecidos como campeões brasileiros, Patrícia se sentiu desprestigiada. Com isso, existe a possibilidade de Flamengo e Corinthians iniciarem um novo grupo para negociar os direitos de transmissão.

Com isso, o Clube dos 13 perderia força para negociar contratos. Patrícia evitou um pronunciamento final sobre o caso, mas garantiu que o Flamengo brigará primeiro por ele, para depois pensar nos outros. Haverá uma reunião da entidade na quarta-feira e o vice-presidente Hélio Ferraz vai a São Paulo para participar do encontro, que pode ser decisivo.

“O Flamengo sempre dividiu o bolo. Se for para cada um ver o seu, pode ser melhor para o Flamengo. E ninguém pode nos condenar por isso”, afirmou Patrícia, que espera que o São Paulo devolva a Taça das Bolinhas para a Caixa Econômica Federal.

A eleição do Clube dos 13 no ano passado também fez parte da discussão. O Flamengo votou contra a CBF, que queria Kléber Leite na presidência da entidade. Fábio Koff acabou sendo reeleito, com o apoio do São Paulo, inclusive.

“O Flamengo não ficou confortável com o posicionamento do Clube dos 13 no fim do ano passado e muito desconfortável com o São Paulo, de quem o Flamengo foi parceiro na eleição do Clube dos 13. É uma rusga, ainda não é uma ruptura. Na hora certa, vamos nos posicionar”, avisou.

A reaproximação entre Flamengo e CBF teve o presidente da Federação do Rio, Rubens Lopes, como principal intermediador. Ele participou da reunião na sede da entidade na manhã desta segunda-feira para sacramentar o reconhecimento do hexacampeonato brasileiro do clube.

“Havia vontade política para resolver a questão e isso foi importante”, comentou Rubens Lopes. “Agora, já se estabelece novamente uma relação entre Flamengo e CBF”, emendou Patrícia Amorim.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG