Advogado Michel Asseff Filho confia em sucesso na defesa do técnico nesta terça-feira, às 18h, no STJD

Nesta terça-feira, o Flamengo vai contar com um personagem diferente. Desta vez, Ronaldinho Gaúcho e Thiago Neves não poderão ajudar o time. O craque do momento é o advogado Michel Asseff Filho, cria do clube, filho de Michel Asseff, que já ocupou diversos cargos diretivos. Ele será o responsável pela defesa do técnico Vanderlei Luxemburgo , do preparador físico Antônio Mello, do goleiro Felipe e do zagueiro Ronaldo Angelim , às 18h, no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

iG Flamengo no Twitter: saiba tudo sobre seu time

Os quatro foram denunciados depois do empate em 2 a 2 com o Ceará , em Fortaleza, que determinou a eliminação do Flamengo nas quartas de final da Copa do Brasil. Uma punição no julgamento poderá significar um longo tempo fora dos gramados, principalmente para Luxemburgo e Felipe. Michel confia na absolvição de todos.

“Vamos provar que os problemas foram criados por causa de um erro do árbitro ( Sandro Meira Ricci, do DF )”, explicou Michel Asseff Filho, em entrevista por telefone ao iG .

Luxemburgo será julgado nos artigos 258 (conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva não tipificada pelas demais regras deste Código), com pena de uma a seis partidas de suspensão, e 243-F, § 1º (ofender alguém em sua honra, por fato relacionado diretamente ao desporto), com multa entre R$ 100 e R$ 100 mil e suspensão de quatro a seis partidas, assim como Felipe. Angelim vai ao tribunal por causa da expulsão, incluso no artigo 250 (praticar ato desleal ou hostil), com pena de uma e três partidas de suspensão. Mello foi denunciado no artigo 258.

Michel Asseff Filho vai defender Luxemburgo, Felipe, Angelim e Mello no STJD
AE
Michel Asseff Filho vai defender Luxemburgo, Felipe, Angelim e Mello no STJD
iG: Esse é um dos seus casos mais complicados?
Michel Asseff Filho:
Desse ano, sem dúvida. Houve um erro grave de um árbitro que acabou fazendo o Flamengo ser eliminado. Aquele cartão no Angelim foi mal aplicado . Ele (Sandro Meira Ricci) escreveu que o Angelim segurou o atacante do Ceará e não foi o que aconteceu. Ele não viu a jogada. O Luxemburgo entrou em campo para tirar os jogadores , foi empurrado e reagiu de uma maneira razoável. No final, ainda escreveu que o Luxemburgo o chamou de ladrão e pilantra . Vamos provar que isso também não é verdade.

iG: Está confiante na absolvição de Vanderlei Luxemburgo?
Michel Asseff Filho:
Já houve situações piores, como a do Joel Santana em 2007. Foi uma caso complicadíssimo e ele foi absolvido, inclusive com a ajuda do Luxemburgo (escreveu uma carta ao STJD sobre o caráter de Joel, que havia sido flagrado pelas câmeras pedindo aos jogadores para usar a violência). O Cuca toda hora era denunciado. É complicado pela quantidade de denunciados e as penas podem ser muito duras.

iG: Vai levar Luxemburgo ao tribunal?
Michel Asseff Filho:
Vou levar todo mundo. Estou confiante, pois o relato deles foi muito esclarecedor, falaram com muita sinceridade em seus depoimentos. Vamos mostrar a imagem do Felipe, do Luxemburgo e do Angelim.

iG: Luxemburgo esteve no STJD em novembro do ano passado , denunciado no artigo 258 na derrota por 1 a 0 para o Atlético-PR. Isso pode prejudicá-lo?
Michel Asseff Filho:
Ele é primário. Se houvesse condenação, seria mais complicado. Nesse caso, fica a consideração de que o árbitro errou. Mas vamos ver. É uma questão muito subjetiva e depende de cada auditor. O dever é julgar pelo processo que está em curso e não usar anteriores, a não ser que haja condenação.

iG: E o que você espera da Segunda Comissão Disciplinar, que vai julgá-los?
Michel Asseff Filho:
São ótimos auditores, presididos pelo Paulo Valed Perry. Eles julgam com justiça. Confio neles (os auditores são Marcelo Tavares, Otacílio Araújo, José Perez de Rezende e Francisco de Assis Pessanha Filho).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.