Fisiologista do Botafogo diz que meia está mais veloz que antes, mas vê excesso de cobrança no jogador

Jogador sofreu grave lesão no joelho em 2010
undefined
Jogador sofreu grave lesão no joelho em 2010
A mesma característica que fez Maicosuel conquistar a torcida do Botafogo dentro de campo, a velocidade, ultimamente se tornou inimiga do meia. Não que a grave lesão no joelho esquerdo, sofrida em 2010, tenha diminuido o arranque ou o poder de explosão do jogador botafoguense. Porém, a rapidez com que a torcida tem cobrado o retorno do futebol de alto nível do ‘Mago’, vaiado na partida contra o Corinthians , e a própria autocrítica do jogador, têm atrapalhado seu desempenho em campo.

Siga o iG Botafogo no Twitter e receba notícias do time em tempo real

Melhor fisicamente
Fisicamente, a avaliação do fisiologista do Botafogo, Altamiro Bottino, é positiva. Durante a recuperação da lesão no joelho, o meia passou por um trabalho de fortalecimento muscular. Ganhou oito quilos e já perdeu dois. Segundo Bottino, não existe nenhuma relação entre o trabalho de ganho de massa e o momento que o jogador atravessa, já que Maicosuel apresentou boa evolução nos testes de velocidade e arranque.

“Essa coisa de que o trabalho de fortalecimento deixa o jogador pior é uma lenda urbana. Comparando, os números dele nos testes de velocidade, força e resistência são muito melhores que antes. Esse ganho de massa muscular só não é interessante, quando os resultados de aumento de velocidade não são tão expressivos, mas não é o caso dele”, explicou Botino.

Entre para a Torcida Virtual do Botafogo e convide seus amigos

Sempre presente nas entrevistas do jogador, a palavra autocrítica também ajuda a entender a fase vivida por Maicosuel. A forte cobrança parte do próprio atleta que, no entanto, diz entrar em campo tranqüilo, sem se preocupar em errar.

“A minha cobrança é um pouco mais forte, mas dentro de campo esqueço. Estou tentando fazer as jogadas, mas psicologicamente estou tranquilo. Um dia desses estava com Zico e ele disse que quando se machucou, demorou um ano e meio para voltar a jogar em alto nível. Claro que não quero demorar todo esse tempo, mas eu estou tranqüilo. É continuar jogando e tentando a fazer as coisas que tudo vai dar certo”, disse o meia do Botafogo.

Excesso de cobrança
Uma companhia freqüente do jogador é a psicóloga do clube, Maíra Ruas, que conversa com Maicosuel frequentemente entre o intervalo dos treinamentos e nos momentos de descanso dos jogdores. Apesar de admitir que a cobrança em excesso possa ser prejudicial, ela considera a atitude normal até que o jogador tenha uma sequência de bons jogos.

“Ele está vindo de uma lesão muito grave e isso pede um tempo até que o jogador se estabilize. Há uma exigência grande da torcida, da mídia, de que ele volte a jogar como antes e, por ele ter um vínculo muito forte com o Botafogo, ser mais que apenas um jogador, ele se cobra bastante. Claro que tudo em excesso é prejudicial, mas isso faz parte do processo”, explicou Maíra, que completou.

"Cada atleta vai ter sua individualidade, mas sinto que ele está da mesma maneira que antes, muito responsável, muito profissional. Está nessa expectativa para ter uma série de partidas boas, mas bem focado, trabalhando muito para que isso aconteça", disse a psicóloga do Botafogo.

Em 11 partidas no Campeonato Brasileiro, Maicosuel anotou um gol, contra o Coritiba, pela 4ª rodada. Contra o Bahia, o jogador teve boa atuação e foi bastante elogiado pelo técnico Caio Júnior, apesar do empate em 1 a 1. A principal dificuldade do atleta é nas jogadas individuais. Segundo o Footstats, o meia lidera as estatísticas do time em dribles errados, com 16 no total e média de 1,5 por jogo.

Jogador sofreu grave lesão no joelho em 2010
undefined
Jogador sofreu grave lesão no joelho em 2010
Para Bottino, a melhor medida a ser tomada é deixar que o jogador recupere o futebol com o tempo, naturalmente. Por isso, ele cita até o exemplo de outros atletas que tiveram lesões graves e também precisaram de um período de readaptação.

"É uma questão de confiança, entrosamento com o grupo. O Ganso passou por um problema parecido agora, assim como o Maikon Leite. É natural que esses jogadores levem um tempo para atingir o mesmo patamar anterior. Seria anormal se fosse o contrário", disse o fisiologista do Botafogo, que se preocupa até com o número de matérias sobre o momento de Maicosuel e pede que tenham paciência com o jogador.

“O número de matérias falando sobre o desempenho dele, sobre o ganho de peso...de tanto ler isso, se o cara acreditar, ele passa a desconfiar se realmente o fortalecimento é correto, passa a fazer os exercícios com incerteza, começa a pensar que tudo o que dissemos para ele pode não ser exatamente daquela maneira. O que ele precisa fazer é só jogar. E nós temos que protegê-lo de uma lesão, deixar ele blindado para jogar bola apenas”, finalizou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.