Meia santista não trocará Vila Belmiro por Parque São Jorge dizem os presidentes dos clubes

Antes das finais que Santos e Corinthians protagonizarão no Campeonato Paulista, os presidentes Luís Álvaro Oliveira Ribeiro e Andrés Sanchez, em entrevista coletiva na sede da Federação Paulista nesta segunda-feira, resolveram colocar panos quentes na possível transação que levaria o meia Paulo Henrique Ganso da Vila Belmiro para o Parque São Jorge.

Conforme o iG noticia desde fevereiro, a DIS, empresa que detém 45% dos direitos econômicos do jogador, procurou o Corinthians para que o clube servisse de ponte para ele chegar a um clube da Europa na janela de agosto . Tanto Andrés, como Luís Álvaro, rechaçaram esta possibilidade, usando o contrato do jogador, válido até 2015 com o Santos, e as boas relações entre os dois clubes como um empecilho nesta negociação.

Cartolas dizem que Ganso não terá
Gazeta Press
Cartolas dizem que Ganso não terá "escalas" entre o Santos e o sonho de jogar na Europa

“Eu não mexo uma palha para trazer o Ganso para o Corinthians. Ele tem contrato. Quando ficou público que estavam oferecendo o Ganso por aí o Luís Álvaro ficou sabendo por que fui eu que contei pra ele. O Corinthians não vai mexer uma palha para tirar ele do Santos”, disse Sanchez, que apesar do discurso, deixa as portas do clube abertas para o jogador caso ele fique livre de contrato com o Santos.

“Se ele ficar livre ele pode ir para o São Paulo, para o Palmeiras, para o Barcelona, para o Milan e aí eu poderia entrar com o Corinthians. Se não, não tem acordo”, disse Sanchez. No sábado, sobre o mesmo assunto, o presidente corintiano disse que o Corinthians não servirá de "barriga de aluguel" antes de o jogador seguir para a Europa

Na última semana, em evento de um dos seus patrocinadores, Ganso disse que “o futuro a Deus pertence” e que “um dia” poderia defender o Corinthians .

 O Santos propôs ao jogador a renovação do contrato algumas vezes, a última na véspera da partida contra o Cerro Porteño, no Paraguai, há duas semanas . O jogador não gostou de ter sido abordado na véspera de uma partida importante. O contrato atual vale até 2015, mas o seu salário é bem inferior ao de Neymar, seu companheiro de time.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.