Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Fim do sonho: o Corinthians está fora da Libertadores

Time paulista é o primeiro clube brasileiro a ser eliminado ainda na fase preliminar da Copa Libertadores

Bruno Winckler, enviado iG a Ibagué |

O Corinthians conseguiu contra o modesto Tolima a façanha de ser o primeiro time brasileiro eliminado na primeira fase da Libertadores desde 2005. Em Ibagué, na Colômbia, o time paulista perdeu por 2 a 0 e viu o semestre acabar em fevereiro. Só resta o Paulistão para ser disputado até maio, se conseguir se classificar para quartas de final, e a esperança de conseguir estar novamente entre os melhores do Brasileirão para chegar a Libertadores de 2012.

Ronaldo e companhia, em dois jogos, não conseguiram furar a defesa de um time sem estrutura e que tenta ser grande até mesmo na Colômbia. É o fim do sonho.

Medina e Santoya, autores dos gols colombianos, mostraram ao Corinthians, que na véspera do primeiro confronto em São Paulo viu Ronaldo perguntar via internet qual era o nome do seu adversário na pré-Libertadores, quem era o Tolima. Agora o time da pobre Ibagué não sairá da cabeça de Ronaldo, de seus companheiros, e de principalmente do torcedor corintiano, que soma agora nove eliminações em Libertadores.

O empate com o rebaixado Goiás, na última rodada do Brasileirão, tirou o Corinthians da fase de grupos e o obrigou a visitar o Tolima na pré-Libertadores. A derrota desta quarta-feira, a primeira de Tite em 14 jogos sob o comando do time, pode ser a última do treinador. Diretores e conselheiros do clube colocaram essa classificação como obrigatória. Tite falhou, colocou um time recuado em campo e viu o Corinthians dar adeus à Libertadores.

AP
Ronaldo domina a bola marcado pelos defensores do Tolima

O jogo

Logo no início do jogo um susto para o Corinthians. Medina foi lançado nas costas de Chicão e Castán e saiu na cara de Júlio César. O atacante teve tempo para dominar e chutar forte. Por sorte do Corinthians, a bola saiu pelo lado direito do gol de Júlio César. Dois minutos depois, outro susto. Desta vez com Murillo o Tolima chegou com perigo da mesma forma, uma bola lançada nas costas da defesa. E assim como Medina, o atacante desperdiçou a chance.

O cenário da partida não era nada animador para o Corinthians. Depois de duas chegadas perigosas, ainda antes dos 10 minutos, o Tolima criou a chance mais clara do primeiro tempo. Castillo aproveitou erro de passe de Fábio Santos no meio campo que gerou o contra-ataque colombiano. Castillo saiu na cara de Júlio César que fez grande defesa.

O time do Tolima tinha o domínio total do jogo, mas como é típico entre os clubes colombianos, em certos momentos os jogadores da casa tentaram jogadas de efeito, como um drible na frente do gol, ao invés de fazer o simples para abrir o placar. Aos 30 minutos, já desgastados pela blitz imposta ao Corinthians no início do jogo, o Tolima freou um pouco seus ataques, e deu mais espaços ao Corinthians.

Mesmo assim a vida do Corinthians não era fácil. Sem meias, e com Fábio Santos, o substituto de Roberto Carlos, nervoso, o Tolima se aproveitou do bom conhecimento do seu gramado, muito irregular, para tocar a bola e envolver os corintianos. Os comandados de Tite, perdidos em um esquema sem um jogador que fizesse a ligação do meio campo do ataque sofria além do gramado com o desentrosamento. Ronaldo, desinteressado, tentava algumas jogadas de efeito, arriscou um chute de falta da intermediária, mas em todo o primeiro tempo não passou de motivo de chacota para os torcedores do Tolima que vibravam com gargalhadas a cada lance ruim do “Fenômeno”.

O Corinthians conseguiu chegar somente com faltas na intermediária. Pelo chão, tocando a bola, parecia impossível. Aos 35 minutos, o desespero corintiano era tão evidente, que Júlio César fez cera para bater um tiro de meta alegando que a bola estava murcha. No meio-campo, puxados por Ronaldo, os corintianos se reuniram para discutir o jogo enquanto o goleiro trocava a bola da partida. A conversa, ao menos nos últimos minutos do primeiro tempo não mudaram o cenário pró-Tolima.

Na volta do intervalo, Tite não fez nenhuma alteração satisfeito com o rendimento de sua equipe. Aos menos nos primeiros minutos do segundo tempo o Corinthians melhorou e tomou as rédeas do jogo. Porém, em 20 minutos, sem chegar ao gol com perigo, e esperando um lance fortuito de Ronaldo para abrir o placar, o Corinthians reacendeu o Tolima que teve com Santoya, aos 20 minutos, seu primeiro gol.

O desespero então tomou conta do time. Tite, desorientado, zanzava pelo banco de reservas sem rumo. O gol fez o treinador sacar Dentinho e Paulinho para dar lugar a Ramírez e Danilo. Aí entrou em cena outro vilão do Corinthians: o recém chegado Ramírez. Com um minuto em campo, o peruano, bancando de valente, se desentendeu com Chará e desferiu uma cotovela no colombiano e foi expulso. Era o fim. Medina, aos 32, de cabeça encerrou a catástrofe corintiana com direito a olé da torcida.

Com a classificação, o Tolima garantiu lugar no grupo 7 da Libertadores ao lado de Cruzeiro, Estudiantes e Guaraní (PAR). A estreia acontece já na próxima semana, dia 9, às 22 horas, em Ibagué, contra o time paraguaio.

A delegação do Corinthians deixou o estádio Manuel Murillo Toro logo depois do apito final direto para o aeroporto de Ibagué para tomarem um voo de 30 minutos até Bogotá. O avião que leva o time para São Paulo está marcado para as 23h locais (1h de Brasília). A previsão de chegada a Viracopos, em Campinas. Como o voo do Corinthians é fretado, está vedado pouso do avião em Guarulhos. Fretados não podem chegar a Cumbica entre as 5h e 11h da manhã.

A delegação ganhou folga nesta quinta-feira e retoma os trabalhos na sexta-feira pela manhã no CT do Parque Ecológico de olho no clássico de domingo contra o Palmeiras, no Pacaembu, pelo Campeonato Paulista

FICHA TÉCNICA – TOLIMA 2 x 0 CORINTHIANS

Local: Estádio Manuel Murillo Toro, em Ibagué, Colômbia
Data: 2 de fevereiro de 2011, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Roberto Silvera (URU)
Assistentes: Maurício Espinosa e Carlos Changala (ambos do Uruguai)
Renda e público: não divulgados

Gols: Santoya, aos 20 e Medina aos 32 minutos do segundo tempo

Cartões amarelos: Murillo e Julian Hurtado (TOL) e Jorge Henrique (COR)

Cartão vermelho: Ramírez (COR)

TOLIMA: Anthony Silva; Vallejo, Arrechea, Julián Hurtado e Felix Noguera; John Hurtado, Chará, Bolívar, Murillo e Castillo (Danny Santoya); Medina. Técnico: Hernán Torres

CORINTHIANS: Júlio César; Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos (Edno); Ralf, Jucilei, Paulinho (Danilo) e Jorge Henrique; Dentinho (Ramirez) e Ronaldo. Técnico: Tite


 

Leia tudo sobre: CorinthiansCopa Libertadores 2011Tolima

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG