Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Filho de Celso Barros é o novo médico do Fluminense

Com o mesmo nome do pai, Celso Barros foi anunciado por Victor Favilla como novo cardiologista do clube

Marcello Pires, enviado iG a Mangaratiba |

Enquanto Edinho e Araújo não chegam, a única novidade em Mangaratiba neste domingo foi o anúncio feito pelo novo coordenador médico do clube, Victor Favilla. Ao lado de Douglas Santos, que ocupava o cargo desde a demissão de Michael Simoni, Favilla foi apresentado oficialmente e apresentou o nome dos dois novos contratados do departamento médico: o ortopedista Ricardo Oliveira e o clínico e cardiologista Celso Barros. Isso mesmo, não é nenhuma coincidência. Celso Barros é filho do presidente da patrocinadora do clube das Laranjeiras.


Apesar do parentesco e do poder que Celso Barros tem à frente do futebol do Fluminense, Victor Favilla fez questão de afirmar que a contratação do novo médico foi feita apenas por indicação técnica.
 

“Além do doutor Douglas e do doutor Arthur, que já estavam no clube, nós estamos trazendo o ortopedista Ricardo Oliveira e o clínico e cardiologista Celso Barros. Ele é filho do Celso Barros sim, mas chega sem qualquer interferência do pai e sim por suas qualidades profissionais. Ele foi uma indicação minha e do doutor Douglas”, afirmou Favilla, que volta ao clube pela terceira vez após ser demitido pela antiga diretoria em dezembro de 2009.
 

“A amizade de anos com o Douglas e o fato de eu ser tricolor pesaram bastante para eu aceitar o convite. Quando um convite mexe com uma paixão e o nosso coração, não temos como dizer não”, disse o novo coordenador médico do Fluminense.
 

Recém-contratado, Favilla preferiu deixar para o antigo coordenador um diagnóstico sobre o atacante Emerson, que voltou a sentir dores no tornozelo esquerdo. O mesmo que o tirou de oito jogos do Fluminense na reta final do Campeonato Brasileiro de 2010.
 

“Todos vocês sabiam que o Emerson não estava cem por cento e que fez um sacrifício enorme para jogar contra o Guarani. Como durante as férias ele não teve qualquer tipo de tratamento, vamos reavaliar o quadro dele já que neste domingo ele sentiu dores pela primeira vez e não conseguiu participar de toda a atividade”, disse Douglas Santos, que foi curto e direto ao ser questionado porque Sheik não foi poupado nesse início de pré-temporada se ele ainda sente dores.
 

“Ele começou a temporada de 2011 como terminou em 2010, treinando e jogando”, concluiu.
 

Leia tudo sobre: fluminenseVictor Favilla

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG