Tamanho do texto

Uso de tecnologia no futebol encontra resistência no presidente Joseph Blatter, que insiste que os erros humanos são parte do jogo

selo

O gol anulado da Inglaterra contra a Alemanha nas oitavas de final da Copa do Mundo da África do Sul, no ano passado, reascendeu na Fifa a discussão sobre a necessidade de sistemas tecnológicos que apontem com precisão quando a bola ultrapassa a linha da gol. Por conta disso, a entidade anunciou nesta sexta-feira que, a partir da semana que vem, analisará, na sua sede em Zurique, dez sistemas que fazem este trabalho de ajuda à arbitragem.

Os testes darão argumentos para um relatório que será discutido em 5 de março, na reunião anual da Internacional Board - que compreende a Fifa e as quatro federações britânicas de futebol -, com a atribuição de revisar as regras da modalidade.

O encontro da Internacional Board também deverá discutir uma permissão para que a Eurocopa de 2012, assim como já acontece no Paulistão deste ano, tenha cinco árbitros em suas partidas - o principal, dois auxiliares nas laterais e outros dois nas linhas de fundo.

O uso de tecnologia para a linha do gol encontra resistência no presidente da Fifa, Joseph Blatter, que insiste que os erros humanos de arbitragem são parte do jogo de futebol.