Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Fifa publica análise dos candidatos a país sede das Copas de 18 e 22

Anúncio oficial das sedes das duas Copas do Mundo será feito no próximo dia 2 de dezembro, em Zurique, na Suíça

Gazeta Esportiva |

A Fifa publicou, na terça-feira, a análise detalhada de cada um dos candidatos a serem país sede das Copas do Mundo de 2018 e 2022. Para a Copa de 2018, há quatro candidaturas: Inglaterra, Holanda e Bélgica (em conjunto), Rússia, e Portugal e Espanha (também em conjunto). Para 2022, as duas candidaturas conjuntas também estão concorrendo, junto com Austrália, Japão, Coréia do Sul, Catar, e Estados Unidos.

Segundo as análises da Fifa, a Austrália seria um local interessante para um Mundial pelo fato de estar em um continente onde o futebol ainda não é muito difundido, além de ser de baixo risco, mas a grandeza do país é tida como negativa, pelo fato de serem necessárias longas viagens durante o torneio.

A Inglaterra tem sua tradição e sua estrutura a seu favor, apesar de a Fifa ver alguns problemas na rede hoteleira do país, que também é considerado um local de risco baixo para a realização de uma Copa.

Já a candidatura da Holanda e da Bélgica perdeu força quando a Fifa viu que não foi possível preencher o número de campos de treinamento, de hotéis e de quartos. Por isso, a candidatura tem um risco médio.

O Japão, que foi sede da Copa de 2002, tem a seu favor os estádios, quase todos prontos e muito bons. Entretanto, não há a certeza de que os padrões da Fifa seriam seguidos nos quesitos segurança, treinamentos e hotelaria, tornando o risco médio.

A Coréia do Sul, que também sediou o Mundial vencido pelo Brasil em 2002, tem um pequeno problema com a acomodação das equipes, mas a Fifa considera o risco pequeno, deixando o país com mais chances que seu "colega" asiático.

A proposta do Catar foi vista com bons olhos pelos analistas da Fifa, que consideram o futebol do país em desenvolvimento e acreditam que seria bom um Mundial no local. A segurança é um dos medos, mas o risco é considerado baixo.

Os russos também estão bem, de acordo com a Fifa. A expectativa é que todos os padrões de estádio sejam altos, já que a maioria das arenas seria construída do zero. Além disto, a experiência da Rússia em sediar eventos é considerada importante e diminui o risco de problemas.

A Candidatura Ibérica de Portugal e Espanha foi bem vista pela Fifa, mas há alguns problemas. Apesar de o risco ser baixo, há uma concentração muito grande de hotéis somente em Barcelona e Madri, o que é ruim, além de não haver uma proposta de campos de treinamento suficientes.

Os Estados Unidos têm a seu favor o fato de não precisarem de nenhuma reforma ou construção de estádio, já que todos já estão nos melhores padrões do mundo. Entretanto, como há alguns problemas em números de centros de treinamento e não há ainda documentado um apoio do governo, a Fifa considera o risco de um mundial na América do Norte médio.

O anúncio oficial das sedes das duas Copas do Mundo depois da que o Brasil irá realizar em 2014 será feito no próximo dia 2 de dezembro, em Zurique, na Suíça.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG