Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Fifa descarta mudar data da Copa do Mundo no Catar

Entidade crê que o calor do verão não será um problema, já que país tem recursos para a instalação de ar-condicionado em estádios e centros de treinamentos

Agência Estado |

A Fifa (Federação Internacional de Futebol e Associados) descartou a possibilidade de mudar o período de realização da Copa do Mundo de 2022, apesar dos temores de que os efeitos do calor no Catar representem um sério risco à saúde. Secretário-geral da entidade, Jerome Valcke disse nesta segunda-feira que ele aceita que "as preocupações sobre o calor são legítimas", mas que a intenção é não mudar os planos originais.

"Alguns, como Franz Beckenbauer, disseram este fim de semana que devemos mudar o calendário e colocar a Copa do Mundo no período de inverno", disse Valcke. "Mas o convite à apresentação de propostas foi para jogar esta Copa do Mundo, em junho, e é assim que foi feito e os países responderam".

Antes da votação das sedes das Copas do Mundo de 2018 e 2022, o relatório técnico da Fifa, alertava que o calor do Catar era um "risco potencial para saúde" com médias de 41ºC no verão. Valcke crê que o calor não será um problema, já que o Catar tem recursos financeiros para garantir a instalação de sistema de ar-condicionado em estádios e centros de treinamentos.

O Catar se comprometeu a investir US$ 42,9 bilhões (R$ 72 bilhões) para melhorar a infraestrutura do país e US$ 4 bilhões (R$ 6,7 bilhões) para construir nove estádios e reformar os outros três. Todos os estádios teriam um sistema para manter a temperatura em torno de 27ºC. "Os jogadores vão estar em condições, nos treinos e nos estádios, que são normais", afirmou.

Valcke defendeu a decisão de favorecer novos países em detrimento de redutos tradicionais do futebol como Inglaterra e Espanha. "O Oriente Médio também faz parte da família do futebol e por quê não deveria ir até eles? Algumas pessoas dizem que estas são decisões corajosas, outros dizem que as decisões são baseadas no princípio da petrodólares", disse Valcke.

Leia tudo sobre: catarcopa do mundofifafutebol internacional

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG